quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Hoje às 02:30h teve inicio o verão

CARACTERÍSTICAS GERAIS

O Verão iniciará às * 02h30 do dia 22 de dezembro de 2011 , no Hemisfério Sul. A expressão verão vem do latim vulgar (veranum, i.e., veranuns tempus). Esta estação engloba também os meses de janeiro, fevereiro e março, com pico em janeiro, mês considerado de alta temporada de férias no Brasil. A estação de verão é caracterizada, basicamente, por dias mais longos que as noites. Ocorrem mudanças rápidas nas condições diárias do tempo, levando à ocorrência de chuvas de curta duração e forte intensidade, principalmente no período da tarde. Considerando o aumento da temperatura do ar sobre o continente, estas chuvas são acompanhadas por trovoadas e rajadas de vento, em particular nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País. Os maiores totais acumulados de chuva concentram-se principalmente nas Regiões Sudeste, Centro-Oeste e extremo sul do Amazonas com valores médios superiores a 600 mm. Estas chuvas podem estar associadas à passagem de sistemas frontais e à formação do sistema meteorológico conhecido por Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), cuja principal característica é a ocorrência de chuvas por vários dias, resultando em enchentes e deslizamentos de terra. Na Região Nordeste, iniciam-se as chuvas, com valores máximos no mês de fevereiro. Dependendo da qualidade do período chuvoso, esta estação pode ser caracterizada pela ocorrência de “veranicos” (períodos de estiagem com duração de 7 a 15 dias). Na Região Sul, as chuvas variam entre 300 mm e 500 mm. * Não corrigida para Horário de Verão
Leia mais!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Hoje 20 de dezembro de 2011

Chegamos aos 20 000 acessos.

Parabéns a todos e a todas que acessaram o blog.

Que continuemos acessando e fortalecendo a luta em defesa do meio ambiente com desenvolvimento sustentável contribuindo para a conquista do terceiro ciclo civilizacional, um mundo solidário e de paz.
Leia mais!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP) É A PRIVATIZAÇÃO DA ÁGUA NO BRASIL

O Brasil conviveu na década de 90 com a adoção de uma política neoliberal, que se baseou na construção de um Estado mínimo, ou seja, tudo que não era considerado essencial pelos governos era colocado a venda, em negociações que até hoje são consideradas suspeitas. Empresas estratégicas como a Vale do Rio Doce, Companhia Siderúrgica Nacional, Embratel, as distribuidoras de energia dentre outras foram vendidas a preços muito abaixo do seu real valor, levando ao desemprego em massa milhões de trabalhadores, rebaixando a qualidade dos serviços e cobrando tarifas abusivas de serviços essenciais a população.

O setor de saneamento ficou de fora desse processo, pelo menos da forma que desejavam os governantes à época, principalmente por que a concessão dos serviços de saneamento não é federal. A atribuição da prestação desses serviços é do município, que pode operar diretamente ou sob regime de concessão privada ou através de contrato de programa quando o operador for público.

A Federação Nacional dos Urbanitários e demais entidades do campo popular e sindical tem se colocado radicalmente contra a adoção da política de Parceria Público-Privada - PPP por entender que essa ação seria uma nova forma de privatização do setor, algo que nem mesmo os governos neoliberais dos anos 90 conseguiram fazer. E que já se mostrou catastrófica em vários países, levando a população às ruas cobrando e em alguns casos, conseguindo sua reestatização, em razão dos péssimos serviços prestados e ao aumento abusivo de tarifa.

Hoje, a maioria dos municípios brasileiros tem como operadora as companhias estaduais de saneamento, que atendem cerca de 80% da população brasileira. Um número expressivo, que mostra a força do saneamento público e estatal. Apesar de o setor ter retomado o acesso a recursos financeiros e ao planejamento das ações, sabemos que carências ainda são grandes, sobretudo no que se relaciona à coleta e o tratamento de esgoto.

Temos a certeza de que é possível avançar mais rumo à universalização dos serviços através das empresas públicas de saneamento, essas condições foram dadas pela nova legislação nacional, pelo aporte de recursos disponibilizados através do Plano de Aceleração de Crescimento – PAC e pela retomada do planejamento. Além disso, o Governo Federal criou uma série de programas e ações que tem por objetivo ajudar na modernização da gestão e qualificação técnica dos profissionais do setor.

O Estado retomou o papel de planejador do sistema elétrico e passou a atuar na linha de frente dos novos investimentos. Os leilões de usinas como Santo Antônio, Girau e Belo Monte, assim como a participação em projetos de fontes alternativas, como os de energia eólica, mostram que somente com a participação estatal é possível tornar viáveis projetos desse porte. A participação estatal demonstrou-se estratégica tanto por contribuir com conhecimento técnico acumulado, como também viabilizou nestes projetos cobrança de tarifas que garantem o principio da modicidade tarifaria.

Não podemos deixar que a água que é o bem mais valioso da humanidade caia nas mãos da ganância de empresários nacionais e de grupos estrangeiros. O resultado seria um retrocesso sem igual, com milhões de brasileiros excluídos dos serviços básicos de água e saneamento, levando com isso o setor de saúde a beira do colapso, já que os dois se complementam. Neste contexto também milhares de trabalhadores com conhecimento técnico seriam demitidos para a contratação de mão de obra barata, inexperiente e com baixos salários.

A FNU e as entidades que apóiam essa luta vem através desse documento se dirigir a toda sociedade para fazer um chamamento em defesa da vida e da soberania da nossa nação: se você acredita na construção de um país livre capaz de dirigir seu próprio destino, de oferecer dignidade a seu cidadão, venha se juntar a essa luta contra as PPPs no saneamento, contra a privatização da água, se mobilizando em cada bairro, cidade ou Estado, pressionando o poder público a respeitar a vontade popular. Sempre na perspectiva da garantia do acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos para todos os brasileiros e brasileiras.

http://aguaparaobrasil.com.br/

Leia mais!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

Quito ameaçado

Brasil

2 de Dezembro de 2011 - 15h40

Impasses na COP-17 traçam perspectivas sombrias sobre Quioto


A primeira semana de discussões da 17ª Conferência das Partes sobre o Clima (COP-17) evidenciou que o agravamento dos impactos da crise econômica nos países industrializados deixaram os governos dos Estados Unidos — que nunca foi signatário do Protocolo de Quioto — e da União Europeia ainda mais reticentes quanto à ideia de conter emissões e investir em modelos de desenvolvimento sustentável.

Considerada uma reunião-chave para a definição da segunda etapa do Protocolo de Quioto — que prevê metas obrigatórias de redução de emissões para os países desenvolvidos — as discussões que acontecem Durban, na África do Sul, até 9 de dezembro, parecem que estão longe de um consenso razoável.

Em entrevista ao Vermelho, o secretário de Meio Ambiente do PCdoB, Aldo Arantes, que acompanha de Durban as discussões da COP-17 afirmou que, por enquanto, as perspectivas da reunião são sombrias. Segundo ele, desde o encontro da COP-16 — realizado em dezembro de 2010, em Cancún — o Japão e alguns países desenvolvidos como o Canadá e a Austrália ameaçam não participar da segunda etapa do Protocolo caso os Estados Unidos e a China não assumam compromissos obrigatórios.

“Na verdade há um jogo de interesses no sentido de jogar nos ombros dos países em desenvolvimento — particularmente o Brasil, a China, a Índia e a Rússia — o ônus do aquecimento global. O problema está em quem paga essa conta. Os EUA nunca se comprometeram e outros países querem exatamente pular fora, colocando como condição que os países em desenvolvimento assumam metas obrigatórias a partir de 2020”.

Na opinião do dirigente comunista as argumentações colocariam abaixo o próprio Protocolo de Quioto — que parte de determinados princípios que determina responsabilidades comuns, porém diferenciadas. “A diferenciação está no fato de que os países desenvolvidos tenham responsabilidades obrigatórias, e aqueles em desenvolvimento responsabilidades voluntárias”.

Nesta quinta-feira (1º/12) a imprensa de Durban noticiou a informação de que países africanos também estariam apoiando a posição da UE, em relação ao compromisso dos países em desenvolvimento.

Em entrevista coletiva, o chefe da delegação que representa o Brasil na COP-17, o embaixador André Corrêa do Lago, disse que isso é inaceitável, pois apesar desses países terem avançando no enfrentamento a vários problemas relacionados com a fome ainda há muito a ser feito.

Aldo lembra que esses foram os mesmos argumentos utilizados pelos chineses no ano passado, na COP-16. “Muitos desses países, apesar de estarem crescendo ainda têm muitos problemas. A China, por exemplo, tem que resolver o problema da fome e da melhoria da qualidade de vida de uma população de cerca de 1,7 milhão pessoas”.

Ao mesmo tempo, os chineses estão entre os maiores investidores em energias renováveis. Apenas em 2010, o país destinou cerca de US$ 46 bilhões na geração de novas energias limpas e a previsão é que nos próximos cinco anos a China invista mais de US$ 250 bilhões.

O chefe da delegação da China, Su Wei, fez na quarta-feira (30), um pronunciamento em nome do Basic — grupo composto pelo Brasil, África do Sul, Índia e China — refutando as propostas da UE. "Podemos até considerar alguma parte da sugestão europeia, mas não há condições de afirmar agora que teremos metas obrigatórias de redução das emissões em 2020". E acrescentou a necessidade da luta por avanços concretos em Durban: "Achamos que a União Europeia está apenas adiando o momento de decidirmos sobre as ações climáticas."

Fundo Verde

Outras questões que têm polarizado os debates na COP-17 são a gestão e os recursos que deverão ser destinados ao Fundo Verde. Aprovado durante a reunião de Cancún, o Fundo deve fornecer, a partir de 2013, financiamento aos países em desenvolvimento para que possam enfrentar as mudanças climáticas.

O grupo que coordena a criação do Fundo propõe que a gestão desses recursos seja feita pelo Banco Mundial. Já os países em desenvolvimento não aceitam essa posição, e defendem que a administração seja feita por um organismo da própria COP.

Alguns setores, como a Alba, também questionam o valor que deverá ser destinado pelos países industrializados ao Fundo — estimado em US$ 100 bilhões. A Nicarágua defende que seja estabelecido um compromisso de 1,5% do PIB dos países desenvolvidos.

Aldo Arantes adverte que a falta de consenso entre os 200 países que compõem a COP-17 pode significar, em último caso, a extinção do Protocolo de Quioto. A próxima reunião da COP deverá acontecer em dezembro de 2012. “Se essas questões não forem resolvidas agora, precisarão ser concluídas no próximo ano que é o prazo limite. Nesse caso, ou se ratifica uma próxima etapa, ou se enterra o Protocolo”.


Da redação,
Mariana

Leia mais!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Últina Reunião

C o n v i t e


O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da sua última reunião ordinária do ano.

Pauta : 1 ) informes - 2 ) avaliação 2011 - 3 ) preparação da confraternização

Data: 05/12/2011 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araújo, 230 - Barro – Recife/PE.
(próxima a Igreja Católica do Barro)

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 8595.8666
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 /8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim!
Recife Merece Mais um Parque!



Leia mais!

Convite - FASE Pernambuco 50 anos


Leia mais!

Berro do Barro [3ª edição]


Leia mais!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Movimento prestigia certificação

A noite do dia 24 / 11 2011 , dia do rio, cumpriu o papel de ínvolucro de momentos dedicados ao coroamento de esforços dedicados à preservação do meio ambiente. O palco foi o Iate Clube do Recife.

O Centro Escola Mangue, vivenciando o projeto ÁGUA TAMBÉM É MAR, celebrou a certificação  de 80 agentes do estuário Capibaribe. Receberam certificado viveiristas de mangue e agentes ambientalistas. A solenidade foi coordenada por Luciana e três estudantes de cada turma foram sorteados para receberem o certificado em nome das mesmas.


Os convidados tiveram suas presenças registradas com o recebimento do Prêmio Escola Mangue ( uma pequenina placa sustentando uma planta estilizada ). Entre esses convidados estavam Edmar Neto, José Semente, Marcos Antônio Araújo e Augusto Semente, representando o Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa.

Como não poderia deixar de ser, o evento foi abrilhantado pela Banda Vote! O que é isso? e o maracatu Estrela do Mar. Grupos culturais constituído por valores da nossa cidade, valores recifenses.

Salve a Escola Mangue, o meio ambiente, a arte e a luta!


Centro Escola Mangue

Dia do Rio 2011

No dia 24 de Novembro, reunimos 50 jovens participantes do Projeto Água Também é Mar para uma trilha de catamarã em comemoração ao dia do rio.  Seguindo o mesmo caminho, sete baiteras guiadas por pescadores artesanais  exibiam faixas com mensagens sobre o Capibaribe.

O trajeto teve partida no píer junto a Associação de Pescadores, em Brasília Teimosa, passando pelo Palácio do Campo das Princesas, fincando parada de 30 minutos entre as pontes Duarte Coelho e Boa Vista. Quem animou a tarde foi A banda Vote! o que é isso? e o batuque do Maracatu Estrela do Mar.

” Depois de tudo que aprendemos, fico muito triste em ver essas bocas de esgoto caindo para dentro do rio. Temos que encontrar outros caminhos, pois, além de uma bela paisagem, o rio guarda história, pode servir como rota para transporte público, sem falar no preservação da biodiversidade e do sustento de várias famílias” menciona a estudante Jéssica dos Prazeres.

Formação - O passeio faz parte da certificação dos 80 agentes do estuário do Capibaribe que, à noite, receberam os certificados e continuaram atuando com o processo de conscientização ambiental e   produção de mudas-mangue.

A ação faz parte das atividades de educação e capacitação dos atores sociais locais do projeto Água Também é Mar que promove a conservação das áreas estuarinas a partir do envolvimento com as comunidades locais dos rios Capibaribe, Goiana, Una e Ipojuca.

Leia mais!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Brasilia Teimosa na posse de Juscelino Kubitschek


Leia mais!

Jacaré no Rio

Os Melhores dias da vida de Orson Welles

Era o ano de 1941. Em pleno Estado-Novo, quatro jangadeiros cearenses realizaram um reide do Ceará ao Rio de Janeiro a bordo da jangada São Pedro, assim batizada em homenagem ao padroeiro dos pescadores. Guiados pela determinação, a esperança e as estrelas, sem bússola ou carta náutica, Raimundo Correia Lima(Tatá),Manuel Pereira da Silva(Mané Preto), Jerônimo André de Souza(Mestre Jerônimo) e Manuel Olímpio Meira(Jacaré), o líder do grupo, realizaram um feito que entrou para a história da navegação, para a história da luta dos trabalhadores do mar e para a história do cinema, tornando-se uma película do cineasta americano, Orson Welles, somente finalizada oito anos após sua morte.

Integrantes da Colônia Z-1, da praia do Peixe, hoje Iracema, os jangadeiros desejavam denunciar para o país e para o Estado-Novo, corporificado na figura do ditador Getúlio Vargas, a situação de abandono em que viviam aproximadamente 35 mil pescadores do Ceará. O objetivo do reide era, portanto, indubitavelmente, político. O processo crescente de precarização da condição de vida dos trabalhadores do mar precisava ser exposto de alguma forma, e o reide cumpriria esse papel.

Os jangadeiros se indignavam, sobretudo, com a injusta apropriação indevida do resultado do seu trabalho. Os donos das jangadas ficavam com a metade do que eles pescavam. Moravam em toscas palhoças e não eram alcançados pelo instituto da previdência social. Os benefícios sociais, então obtidos pelos trabalhadores no Governo de Getúlio Vargas, não chegavam à classe de pescadores. No entendimento dos jangadeiros, o presidente da República, precisava tomar conhecimento desta situação. A qualquer custo.

Num “bom nordeste” de uma manhã de 14 de setembro de 1941, os jangadeiros partiram da antiga praia do Peixe, chegando ao Rio de Janeiro dois meses depois. Foram muito bem acolhidos pela população carioca, num reconhecimento explícito pela bravura da odisséia, e, em 16 de novembro, foram recebidos no Palácio do Catete por Getúlio Vargas. Comenta-se que Getúlio teria dito para Jacaré, o líder do grupo, “Conte tudo. Não esconda nada”. Depois de ouvir as reinvidicações dos pescadores, Vargas, bem ao estilo populista, teria concluído: “Voltem tranqüilos. O Governo saberá ampará-los e dar-lhes justiça.”

Embora Vargas tenha cumprido as promessas formais assumidas – estendendo os direitos trabalhistas à classe de pescadores - Desde então, a situação dos trabalhadores do mar, que se dedicam à pesca artesanal no país, por inúmeros fatores, permanece enfrentado uma série de problemas, como a concorrência desleal com a pesca industrial, agravados pela escassez do pescado, como resultado da destruição dos manguezais, da pesca predatória, da não observância aos períodos de defeso das espécies etc.

O caso das “meninas marisqueiras” nos oferece uma situação emblemática, identificadora de que o “estado de abandono”, criticados pelos pescadores à época, ainda não foi superado. Em todas as regiões do país, mas, sobretudo, no litoral nordestino, essas meninas enfrentam um grande dilema: precisam optar entre freqüentar uma escola com regularidade ou ir à pesca do crustáceo, fundamental para a sua sobrevivência. Não é preciso ser nenhum especialista em educação para concluir que, nessas circunstâncias, é grande o índice de abandono das salas de aula nas regiões litorâneas, onde esse crustáceo ajuda a movimentar a economia local.

Na mesma década do reide dos pescadores cearenses, o sociólogo pernambucano Josué de Castro, através dos seus livros, denunciava as precárias condições de vida dos moradores dos mangues do Recife, imprimindo à questão da fome um status político, fruto das engrenagens sociais perversas. Segundo Josué, esses moradores viviam como caranguejos, atolados na lama, numa verdadeira cumplicidade com o mangue. “Ali tudo é, foi ou será caranguejo”.

Há alguns outros fatores históricos que relacionam, de uma maneira mais orgânica, o Estado do Ceará às jangadas. Além do reide de Jacaré e seus companheiros, os romances de José de Alencar e um fato emblemático relacionado à libertação dos escravos. Antecipando-se à assinatura da Lei Áurea, o Ceará torna-se a primeira província brasileira a abolir a escravidão. Também possui seus heróis e um desses heróis era um líder jangadeiro, Francisco José do Nascimento, conhecido como Chico da Matilde, um pardo e humilde trabalhador do mar, que se recusou a embarcar, através de sua jangada, escravos para navios negreiros que estavam ancorados no Ceará e tinha como destino o Rio de Janeiro.

Levado para a Corte, Chico da Matilde, foi ovacionado pelo povo e rebatizado de Dragão do Mar. Hoje, no Ceará, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura é uma homenagem a este jangadeiro que, numa atitude de muita dignidade, contribuiu para, formalmente, agilizar o processo de libertação dos escravos.

As jangadas são embarcações de madeira flutuante, utilizadas por pescadores artesanais para a pesca em alto mar, sobretudo na costa litorânea do Nordeste brasileiro. Trata-se de um barco movido à vela, que incorpora uma série de experiências no campo da navegação, exigindo de seu comandante, destreza, habilidade, perícia e sensibilidade para acompanhar o movimento dos ventos, tábua de marés etc.

As jangadas tradicionais são construídas sem o emprego de metais, ou seja, toda a sua estrutura é montada através de encaixes e amarradas com cordas de fibras selvagens, neste aspecto, incorporando a experiência indígena. Segundo o folclorista potiguar Luiz da Câmara Cascudo, em trabalho encomendado pela propaganda getulista, denominado Jangadeiros, a tradição de fazer jangadas com essas características vem se perdendo ao longo dos anos. Poucas colônias de pescadores da região ainda preservam tal tradição.

O reide do jangadeiro Jacaré e de seus companheiros obteve repercussão internacional. O cineasta Orson Welles tomou conhecimento da proeza através de uma edição da revista Time, que chegou em suas mãos quando ele estava a trabalho, no México. Ao ler a matéria, Orson não teve nenhuma dúvida: estava ali o segundo episódio brasileiro de um trabalho, que estava realizando para o Studio RKO, que integrava as políticas diplomáticas de boa vizinhança do presidente Roosevelt para o continente latino-americano.

A presença de Orson Welles no Brasil, e em particular no Ceará, as filmagens de It’s All True – título do filme que incorporava a saga dos pescadores cearenses e o carnaval carioca – a exploração política do episódio pelo do Estado Novo e a morte trágica de Jacaré durante as filmagens – num acidente sob suspeição -, culminando com a interrupção dos trabalhos, o que levou Orson Welles de volta ao Ceará, sem nenhum recurso, para retomar as filmagens, são situações que até hoje geram muitas especulações e algum folclore.

Determinado a concluir as filmagens sobre a saga dos jangadeiros, Orson Welles, como já afirmamos, voltou ao Ceará com a idéia na cabeça e uma câmara que sequer permitia a gravação de áudio. Convivendo diretamente com os jangadeiros cearenses, Welles, arriscamos a dizer, viveu os melhores dias de sua vida: Filmava mesmo nessas condições adversas; saia para pescar com os pescadores cearenses; comeu muito peixe fresco com cerveja; contemplava o pôr-do-sol no alto das dunas; dormia em rede; estirado na esteira de vime, como diria o poeta, bebia água de coco ao cair da tarde. Certamente namorava e ainda ouvia as conversas de pescadores.

Aqui, no litoral nordestino, um verdadeiro paraíso tropical, Welles teve a oportunidade de livrar-se do tedioso modo de vida americano, a exemplo do escritor Ernest Hemingway, que passou um período de sua vida em Cuba, pescando, escrevendo e observando o cotidiano dos trabalhadores do mar, o que resultaria no romance O Velho e o Mar

Há quem afirme, por exemplo, que neste período, Orson teria aproveitado o momento para realizar uma viagem ao Recife. Orson, todos sabem, tinha fama de mulherengo e fanfarrão. Hospedou-se no Grande Hotel e, numa noite de farra, teria tomado um porre “daqueles” perdido o equilíbrio e caído no Rio Capibaribe. It’s All True!

Há, também, uma teoria conspiratória sobre o acidente com a lancha que vitimou Jacaré, na enseada de Ipanema. Há quem assegure que o Estado Novo, que havia determinado ao DOPS que seguisse os passos dos pescadores para não permitir sua aproximação com a esquerda, poderia ter tramado a morte dos jangadeiros. Apenas Jacaré faleceu no acidente. Seu corpo nunca foi encontrado.

O Estado Novo também estaria incomodado com tantos pobres, negros e favelas nas tomadas de Orson Welles no Rio de Janeiro e teria feito gestões junto ao Governo Americano no sentido de interromper as filmagens. Especulação ou verdade, o fato é que o Studio RKO, logo em seguida, deixou Orson à míngua. Antes do reide, os jangadeiros cearenses, por sua vez, esperaram por muito tempo, um sinal verde da Marinha Mercante liberando-os para a viagem. Incomodado com o fato, o jornalista Austregésilo de Atayde escreveu um artigo apaixonado intitulado: “Deixem vir os Jangadeiros”.

Por ocasião do encontro com Getúlio Vargas, um dos seus assessores queria saber quem havia escrito o diário de bordo, relatando toda a odisséia. Ao que Jacaré teria respondido: eu mesmo escrevi o diário. Espantado, o assessor teria dito: É um novo Pero Vaz de Caminha! Jacaré, então, retrucou: Este não veio!

Embora Orson Welles seja um pouco fantasioso ao apresentar os pescadores como sujeitos praticamente vivendo longe da civilização – conforme afirma Beatriz Abreu, que escreveu uma tese de doutorado sobre o reide dos jangadeiros cearenses e sua “apropriação” política pelo Estado Novo, como peça de propaganda – o fato é que, já naquela época, a especulação imobiliária naquela área estaria empurrando os pescadores morro à cima. Beatriz Abreu enfatiza, sobretudo, os “ganhos simbólicos” do trabalhismo de Getúlio com o episódio, numa análise que merece ser lida, porque, apesar das críticas, reconhece a dignidade da ação dos jangadeiros.

O cinema nacional dedicaria outros trabalhos envolvendo a temática dos jangadeiros. Em 1926, no Recife, num movimento que ficou conhecido como “Ciclo do Recife”, marco da cinematografia brasileira, com roteiro de Luís Maranhão, Tito Severo e Jota Soares e direção de Gentil Roiz e Ary Severo foi realizado o filme mudo “Aitaré da Praia”, que conta a história de Aitaré, jangadeiro que namorava Cora e se envolve numa série de problemas depois de salvar o rico coronel Felipe e sua filha.

Sobre a presença de Orson Welles no Ceará, Firmino Holanda realizou um excelente documentário. It’s All True seria retomado mais tarde, com o filho de Jacaré, assumindo o papel principal. Depois desse episódio, outros reides foram realizados, embora sem o mesmo glamour e repercussão do reide realizado em 1941, pelos jangadeiros cearenses. Em 1974, quatro outros jangadeiros empreenderam a mesma travessia, quase sempre focadas na exposição das condições sociais dos pescadores. Em plena ditadura militar, no seu período mais crítico, a repercussão dessa segunda viagem foi bastante suprimida. A jangada dessa travessia de 1974, no entanto, que pertenceu ao jangadeiro José de Lima Verde, e esteve sob os cuidados do Museu Histórico Nacional, tornou-se acervo permanente do Museu do Homem do Nordeste, da Fundação Joaquim Nabuco, exposta para visitação pública no seu pátio externo.

:: José Luiz Gomes da Silva é cientista político.

http://www.fundaj.gov.br


Leia mais!

domingo, 27 de novembro de 2011

Empresa especializada em tratamento de lixo hospitalar é investigada no Recife

 

IRREGULARIDADES

 

Empresa especializada em tratamento de lixo hospitalar é investigada no Recife

 

Denunciada por moradores da Guabiraba, Serquip pode ser multada em até R$ 250 mil


Publicado em 26/11/2011, às 16h25


Do JC Online


Seguindo denúncias de queima de lixo hospitalar a céu aberto, a secretaria Municipal de Meio Ambiente acabou realizando vistoria em uma empresa de tratamento de resíduos, na manhã deste sábado (26). A Serquip, com sede no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, está sendo investigada por irregularidades tanto em sua licença ambiental, quanto no manejo dos resíduos. A equipe da secretaria constatou que o forno para esterilização do material, a autoclave, funcionava sem o filtro que impede a liberação de material tóxico para a atmosfera. A empresa também estava atuando sem a licença apropriada e não vinha apresentando relatórios sobre o manejo do lixo tratado.

A ausência do filtro pode explicar a reclamação dos moradores da Vila Betel, autores da denúncia, que suspeitam que a fumaça produzida pela queima do lixo tem provocando doenças na população local. Além disso, segundo informações da secretaria, a Serquip apresentou licença ambiental emitida em setembro pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). No entanto, desde 2009 as licenças ambientais para esta atividade devem ser emitidas pelo governo municipal. A secretaria investiga também se o manejo irregular do lixo contaminou o lençol freático da região.

A Serquip tem 15 dias para se pronunciar. Caso sejam comprovadas as irregularidades, a empresa pode receber multa que varia entre R$ 50 mil e R$ 250 mil. A Serquipe não quis conversar com a reportagem do JC.

Confira a reportagem completa na edição deste domingo do caderno Cidades do JC.

Leia mais!

domingo, 13 de novembro de 2011

VI Encontro de Escolas Mangue

ATIVIDADE ADIADA!
11/09/2011
Estamos com  30 inscrições abertas para professores da rede pública que queiram participar do VI Encontro de Escolas Mangues que acontece nos próximos dias 25, 26 e 27 de Novembro. O encontro tem o objetivo de favorecer  a troca de experiências educativas relacionadas com a conservação dos estuários.
Dentro da programação teremos palestras, oficinas, trilhas ecológicas e atrações culturais.
O evento acontecerá no Espaço Ciência, Olinda. As inscrições são gratuitas e os interessados já podem enviar sua solicitação para o email: escolamanguecomunica@gmail.com

Clique no link abaixo!
http://centroescolamangue.wordpress.com/2011/11/09/vi-encontro-de-escolas-mangue/
Leia mais!

Encontro Gastrônomico

O movimento se fez presente nesse importante evento com a presença de Edmar Neto e Augusto Semente.


Encontro Gastrônomico


11/09/2011
Sururu, Marisco, Arroz de Polvo, Caldinho de Peixe foram algumas das delícias servidas no I Encontro Gastronômico de Culinária Mangue do estuário do Rio Capibaribe.
O evento aconteceu no último dia 03 de Novembro e reuniu 9 mulheres, comerciantes, que apresentaram ao público suas especialidades gastronômicas com ingredientes diretamente vindos dos rios, dos manguezais e do mar.
A ocasião foi resultado de um curso sobre Alimentos Seguros, desenvolvido durante dois meses, em parceria com o Senac – PE.
“Tudo isso é ótimo  para qualificar nosso trabalho e divulgar a culinária daqui. Além de tudo, precisamos mostrar que as águas do rio, do mangue e do mar são fonte de vida, sustento e riqueza” comenta Edileuza Nascimento, comerciante do Bar da Buchadinha  e uma das mais antigas marisqueiras do Recife.
A animação da noite foi com o Forró de 1 real da banda Vote, O que é isso?
O evento faz parte das ações de resgate das produções e tradições estuarinas para valorização das culturas locais do Projeto Água Também é Mar que conta com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

Clique no link abaixo!

http://centroescolamangue.wordpress.com/2011/11/09/encontro-gastronomico/
Leia mais!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Escola : nas salas e nas ruas

Sábado, 05/ 11 / 2011, a Escola Presidente Humberto Castello Branco realiza o seu 11º Movimento Ecológico. Mais de 600 pessoas saem às ruas de Tejipió com o entusiasmo da juventude defendendo CENTO E NOVENTA E DOIS HECTARES remanescentes de Mata Atlântica ( Mata do Engenho Uchoa ).
Além das comunidades interna e externa se fizeram representar o SINTEPE, o SINDICONPE, o SINDDURB-PE, a FIJ, a FEMOCOHABPE  e a T. C. M. Arrebenta Sapucaia! por, respectivamente, Edmar Neto, Augusto Semente, Ivanildo Figueiredo e José Inácio.

O evento compreende duas etapas. A primeira concretiza-se com a caminhada ecológica e a segunda materializa-se numa gincana. Essa competição desenvolve-se entre seis equipes de estudantes representadas pelas cores branco, azul, amarelo, verde, vermelho e preto simbolizando, respectivamente, o ar, as águas, o sol, as matas, os animais e o lixo.

Esse evento que completou dez anos conta, ha muitos anos, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação - SINTEPE. Este ano, mais uma vez, participou cedendo um mini trio

Na Av. Falcão de Lacerda, na entrada do Pacheco, cada equipe expressou o seu grito de guerra ( uma das tarefas da gincana ) em seguida um representante de cada equipe e os representantes das entidades presentes fizeram suas intervenções o que já vinha sendo feito durante a caminhada.

Durante toda caminhada pelas avenidas José Rufino e Falcão de Lacerda o que se viu foi uma exuberância de cores e corais juvenis em uníssono defendendo a Mata do Engenho Uchoa.

Como desfecho uma mesa julgadora integrando a fase interna, da gincana, produziu o resultado na forma da classificação: em 1º lugar ficou a equipe branco, em 2º a azul, em 3º a vermelho, em 4º a amarela, em 5º a verde e em 6º a preta.

No final das contas a grande vitoriosa foi a sociedade recifense que conta com uma escola que incentiva o respeito ao meio ambiente e participa de uma luta por uma causa justíssima que é a implantação de um Parque Natural.
A comunidade dessa escola que construiu os seus projetos pedagógicos na perspectiva de ver caminharem juntas teoria e prática está sob o comando dos professores José Hildemarcos ( Marcos ) e Sidney Lemos.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 8595.8666
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 /8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim!
Recife Merece Mais um Parque!

Leia mais!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Reunião Ordinária

C o n v i t e


O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião ordinária.

Assuntos:
1 – encontro das escolas mangues;
2 - retomada da conversa com a PCR Secretaria de Meio Ambiente;
3 - confraternização do Movimento e
4 - Um ano da VITÓRIA pela não construção da CTDR – Central de Tratamento e Destinação de Resíduos.

Data: 07/11/2011 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Associação dos Moradores do Barro, R Manuel Salvador, 361 - Barro – Recife/PE.
(próxima a Escola Profª. Olindina Semente e Escola Municipal do Barro)


Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 8595.8666
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 /8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim!
Recife Merece Mais um Parque!

Leia mais!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Encontro Gastronômico de Culinária Mangue do Estuário do Rio Capibaribe

Convite
logo - transparente.png     logo.águamar.jpg

Encontro Gastronômico de Culinária Mangue do Estuário do Rio Capibaribe
No próximo dia 03 de Novembro, dez comerciantes da comunidade de Brasília Teimosa reúnem-se para apresentar ao público suas especialidades gastronômicas com ingredientes diretamente vindos dos rios, dos manguezais e do mar.
O evento faz parte das ações de resgate das produções e tradições estuarinas para valorização das culturas locais e transmissão do conhecimento popular sobre o meio ambiente do Projeto Água Também é Mar.

Na ocasião, também acontecerá a certificação dos comerciantes que participaram de um curso de Alimentos Seguros que foi desenvolvido pelo Senac - PE, durante 3 meses. O evento também conta com apoio da Prefeitura do Recife e terá continuidade em 2012 nos outros estuários que participam do Projeto Água Também é Mar que conta com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.

Aguardamos a presença de tod@s

Encontro Gastronômico de Culinária Mangue do Estuário do Rio Capibaribe
Data: 03 de Novembro de 2011
Horário: 19h
Local: Centro Escola Mangue, Rua Afrânio, 273, Brasília Teimosa (de esquina com a Orla)
Atração Cultural: Vote, o que é isso?

Outras Informações: (81) 3327.1572
rodapé ATM - Marca nova.png

Imagem2.png

Leia mais!

sábado, 29 de outubro de 2011

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

1º Encontro Mundial de Blogueiros começa quinta em Foz do Iguaçu

26 de Outubro de 2011 - 12h40

Entre a próxima quinta-feira (27) e sábado (29), Foz do Iguaçu (PR) receberá o 1º Encontro Mundial de Blogueiros, que reunirá comunicadores e interessados em mídias alternativas para uma extensa programação de debates com diversos convidados internacionais. O evento vai discutir O papel da blogosfera na construção da democracia, a partir da constatação de que as novas mídias absorveram grande parte da audiência da imprensa tradicional.


O encontro é promovido pelo Instituto de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e da Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom), com patrocínio da Itaipu Binacional e da Sanepar. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pela internet (blogueirosdomundo.com.br), com taxa no valor de 100 reais. Estudantes pagam meia.

Participarão de debates no encontro personalidades como Ignácio Ramonet, criador do Le Monde Diplomatique e autor do livro “A explosão do jornalismo”; Kristinn Hrafnsson, porta-voz do WikiLeaks; Luis Nassif, jornalista e blogueiro; Jesse Chacón, ex-ministro das Comunicações da Venezuela, Pascual Serrano, fundador de um dos maiores sites de esquerda da Europa, o Rebelión, entre outros.

Jornalistas e blogueiros brasileiros serão mediadores dos debates, como Maria Inês Nassif, da Carta Maior; Natalia Vianna, da Agência Pública; Renata Mielli, do Instituto Barão de Itararé; Altino Machado, blogueiro do Acre; e Renato Rovai, integrante da Altercon e editor da revista Fórum, entre outros.

Programação

27 de outubro – quinta-feira, 20 horas
19 horas – abertura oficial do evento no Centro de Recepção de Visitantes (CRV) de Itaipu

- Coquetel e iluminação da barragem de Itaipu

28 de outubro – sexta-feira

9 horas – Debate: “O papel das novas mídias”
- Ignácio Ramonet – criador do Le Monde Diplomatique e autor do livro “A explosão do jornalismo”;
- Kristinn Hrafnsson – porta-voz do WikiLeaks;
- Dênis de Moraes – autor do livro “Mutações do visível: da comunicação de massa à comunicação em rede”;
- Luis Nassif – jornalista e blogueiro;
* Mesa dirigida por Natalia Vianna (Agência Pública) e Tatiane Pires (blogueira do RS)

14 horas – Painel: “Experiências nos EUA e Europa”
- Pascual Serrano – blogueiro e fundador do sítio Rebelión (Espanha);
- Andrés Thomas Conteris - fundador do Democracy Now em Espanhol (EUA);
- Henrique Palma – criador do blog “A perdre La raison” (França) ;
- Jillian York – blogueira, colunista do Huffington Post, Guardian e da TV Al Jazeera (EUA);
* Mesa dirigida por Renata Mielli (Barão de Itararé) e Altino Machado (blogueiro do Acre);

16 horas – Painel: “Experiências na Ásia e África”.
- Ahmed Bahgat – blogueiro e ativista digital na “revolta do mundo árabe” (Egito);
- Atanu Dey – blogueira da Índia e especialista em Tecnologia da Informação (Índia);
- Pepe Escobar – jornalista e colunista do sítio Ásia Times Online (Japão);
- Mar-Jordan Degadjor – blogueiro e diretor da ONG África para o Futuro (Gana);
* Mesa dirigida por Renato Rovai (Altercom) e Sérgio Telles (blogueiro do Rio de Janeiro);

Dia 29 de outubro – sábado
9 horas – Painel: “Experiências na América Latina”.
- Iroel Sánchez – blogueiro da página La Pupila Insomne e do sítio CubaDebate (Cuba);
- Osvaldo Leon – editor sítio da Agência Latinoamericana de Informação – Alai (Equador);
- Martin Becerra – professor universitário e blogueiro (Argentina);
- Jesse Freeston – blogueiro e ativista dos direitos humanos (Honduras);
- Luis Navarro (Editor do jornal La Jornada – México)
- Martin Granovsky (Editor Especial do jornal Página 12 – Argentina)
* Mesa dirigida por Sérgio Bertoni (blogueiro do Paraná) e Cido Araújo (blogueiro de São Paulo);

14 horas – Painel: “As experiências no Brasil”
- Leandro Fortes – jornalista da revista CartaCapital, blogueiro e da comissão nacional do BlogProg;
- Esmael Moraes – criador do blog do Esmael.
- Conceição Oliveira – criadora do blog Maria Frô e tuiteira.
- Bob Fernandes – editor do sitio Terra Magazine [*];
* Mesa dirigida por Maria Inês Nassif (Carta Maior) e Daniel Bezerra (blogueiro do Ceará);

16 horas – Debate: A luta pela liberdade de expressão e pela democratização da comunicação.
– Paulo Bernardo – ministro das Comunicações do Brasil [*];
- Jesse Chacón – ex-ministro das Comunicações da Venezuela;
- Damian Loreti – integrante da comissão que elaborou a Ley de Medios na Argentina;
- Blanca Josales – ministra das Comunicações do Peru;
* Mesa dirigida por Julieta Palmeira (associação de novas mídias da Bahia) e Tica Moreno (blogueiras feministas);

18 horas – Ato de encerramento.
- Aprovação da Carta de Foz do Iguaçu (propostas e organização).

Fonte: Carta Maior
Leia mais!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Palestra: Árvores do Recife e Lançamento do livro "MAPA DOS BAOBÁS DO BRASIL"

Por gentileza confirmar presença por telefone ou e-mail.

Atc,
Rosangela SouzaNúcleo de Apoio aos Conselhos Temáticos Permanentes -

NACTPapoionactp@fiepe.org.br http://www.fiepe.org.brtelefone/:
81. 3412.8493 / 3412.8477

Leia mais!

domingo, 23 de outubro de 2011

Ato 25.10.2011 - SAÚDE: Direiro de todos, dever do estado


Leia mais!

Espaço Ciência e Observatório do Alto da Sé atrai a criançada

21 de Outubro de 2011 - 17h18

Da TV Jornal


Uma boa programação para a garotada neste final de semana é uma visitação ao Espaço Ciência, no Complexo de Salgadinho, na entrada de Olinda. No local, os jovens se divertirão com várias atividades que marcam a semana da tecnologia. Já no sítio histórico da cidade, no Observatório do Alto da Sé, a criançada pode conferir uma exposição interessante, com as etapas da exploração espacial do homem bem definidas. [Veja no vídeo]




Leia mais!

sábado, 22 de outubro de 2011

APÓS 20 ANOS!

Segunda-feira, 2 de agosto de 2010 às 18:04

Política Nacional de Resíduos Sólidos une proteção ambiental à inclusão social

Ao sancionar nesta segunda-feira (2/8), em Brasília, a lei que cria a Política Nacional de Resíduos Sólidos no País, o presidente Lula elogiou o trabalho de seus ministros, dos parlamentares e dos catadores de material reciclável, que estão cada vez mais organizados e cientes de seu papel na sociedade, na aprovação da nova legislação, e pediu agilidade na sua regulamentação, porque ela já ficou mais de 20 anos tramitando no Congresso Nacional.

Leia mais!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Lançamento do livro Mapa dos Baobás do Brasil

Gilberto Vasconcelos

81 9778 7742 - 81 8523 4451

Leia mais!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Programa Pé na Rua mostra Mata Engenho Uchoa

17 de Outubro de 2011 - 15h32

O valiosíssimo remanescente de Mata Atlântica situado entre onze bairros na Zona Oeste do Recife e a luta do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchôa para conservá-lo e transformá-lo num parque natural foram mostrados no Programa Pé na Rua que foi ao ar no ultimo domingo (16), às 18h30, na TV Pernambuco, Canal 46


O programa será reprisado nesta quarta-feira (19), também às 18h30, e na terça-feira (18) ou
quinta-feira (20), às 16h, no Canal Capibaribe.


 

O Pé na Rua com a Mata do Engenho Uchôa foi gravado no dia 28 de setembro, quando a equipe técnica do programa percorreu a área acompanhada de integrantes do Movimento, professores e alunos da Escola Humberto Castelo Branco.

“O Movimento se sente honrado em contribuir com o Pé na Rua, ao mesmo tempo em que agradece a oportunidade de apresentar à sociedade pernambucana a necessidade de criação de um parque natural no Recife, bem como sensibilizar a Prefeitura da Cidade do Recife para implantação desse parque no sentido de melhorar o Recife com um remanescente de 192 hectares da Mata Atlântica”, afirma Augusto Semente, um dos integrantes da entidade ambientalista.

O Movimento luta pela implantação do Parque Natural Rousinete Falcão na APA – Área de Preservação Ambiental existente na Mata Uchôa.

SERVIÇO: Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa
Contatos:

Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265/8622.9518
Patrícia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim!
Recife Merece Mais um Parque!

Leia mais!

domingo, 16 de outubro de 2011

A mata por dentro

Se você perdeu a oportunidade tranqüilize-se porque a coordenação do Movimento postou o programa Pé na Rua que foi ao ar às 17:30h do dia 16.10.2011.


Assista à parte Dá Certo onde a Mata do Engenh Uchoa foi apresentada com uma competente cobertura jornalística: o que é a mata, os entrevistados representando os movimentos sociais e estudante e professor dando um tom pedagógico numa luta que está completando 32 anos. Não faltando a participação das crianças.
Leia mais!

sábado, 15 de outubro de 2011

A Mata e os(as) Professores (as)

A Mata do Engenho Uchoa, remanescente de Mata Atlântica, é sinônimo de verde, de saúde, de qualidade de vida!
O envolvimento dos professores com a Mata é bastante antigo. A Mata do Uchoa tem em seu entorno várias escolas da rede pública e privada. Muitas delas desenvolvem atividades que levam professores e alunos a conhecerem - na, e se encantarem com sua beleza exuberante!

A Mata do Engenho Uchoa, laboratório vivo, tem contribuído com alunos e professores sensíveis a sua beleza, que, de forma tão prazerosa, tem estudado seu relevo diversificado, seus vários tipos de solo, seus recursos hídricos - a bacia do Rio Tejipió, do Rio Moxotó, pequenos riachos, olho d’água e áreas alagadas., sua flora representada por árvores de espécies nativas e exóticas. A Mata abriga, ainda, uma bela diversidade de fauna, várias espécies em extinção. Dai a necessidade de que os governantes se sensibilizem com a luta encampada pelo Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa e implantem o Parque Natural Rousinete Falcao, demanda tão antiga da comunidade!

O Parque daria mais oportunidades e condição aos professores, enfim a toda sociedade recifense de melhor usufruírem dos recursos da Mata.
Leia mais!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mata do Engenho Uchôa será mostrada no programa Pé na Rua

14 de Outubro de 2011 - 17h34

O valiosíssimo remanescente de Mata Atlântica situado entre onze bairros na Zona Oeste do Recife e a luta do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchôa para conservá-lo e transformá-lo num parque natural serão mostrados no Programa Pé na Rua que vai ao ar no próximo domingo (16), às 18h30, na TV Pernambuco, Canal 46, e será reprisado na quarta-feira (19), também às 18h30, e na terça-feira (18) ou quinta-feira (20), às 16h, no Canal Capibaribe.




O Pé na Rua com a Mata do Engenho Uchôa foi gravado no dia 28 de setembro, quando a equipe técnica do programa percorreu a área acompanhada de integrantes do Movimento, alunos da Escola Humberto Castelo Branco e assessores do Gabinete do deputado Luciano Siqueira.

“O Movimento se sente honrado em contribuir com o Pé na Rua, ao mesmo tempo em que agradece a oportunidade de apresentar à sociedade pernambucana a necessidade de criação de um parque natural no Recife, bem como sensibilizar a Prefeitura da Cidade do Recife para implantação desse parque no sentido de melhorar o Recife com um remanescente de 192 hectares da Mata Atlântica”, afirma Augusto Semente, um dos integrantes da entidade ambientalista.

O Movimento luta pela implantação do Parque Natural Rousinete Falcão na APA – Área de Preservação Ambiental existente na Mata Uchôa.

O programa pode ser visto ainda no site http://www.penarua.tv.br/ /.

SERVIÇO:
Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa

Contatos: Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265/8622.9518
Patrícia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim!
Recife Merece Mais um Parque!

http://www.vermelho.org.br/pe/
Leia mais!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Movimento solicita audiência


Leia mais!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Pé na Rua pela Mata

Assista ao Pé na Rua. Um programa quem tem compromisso com o estilo de vida do povo de cada bairro, com seus artistas e seus lutadores.

E se você quer conhecer um valiosíssimo remanescente de 192ha de mata atlântica, situado entre 11  bairros do Recife, e a luta para conservá-lo e transformá-lo num parque natural, assista ao próximo programa que irá ao ar  no próximo dia 16 (próximo domingo), as 18h30min na TV Pernambuco  canal 46 e reprisada na próxima (quarta-feira)  também as 18h30min, terça-feira ou quinta-feira, às 16h Canal Capibaribe e também no site http://www.penarua.tv.br/.

Aguarde e participe de uma bonita e agradável caminhada pelo que nos restou de uma Mata Atlântica (APA Rousinete Falcão).

É mais uma realização da equipe do Pé na Rua, coordenada por Ivan  Moraes, com a colaboração do Movimento em Defesa da mata do Engenho Uchoa.

Bom proveito do programa.
Aguardamos seus comentários.

Leia mais!

As crianças e o meio ambiente

Exibição: Domingo às 17h30.Repórter Eco - página inicial Repórter Eco - página inicial

O barco escola-mangue ensina alunos de Recife a proteger o berço da vida marinha

Assista ao vídeo
Escolha a sua conexão:
normal
rápida

Formato WindowsMedia
Pensando no mangue, ecossistema frágil que vem sendo destruído há décadas pela industrialização e urbanização da capital de Pernambuco, professores e pescadores de comunidades do Recife se uniram para iniciar um movimento pró-manguezal. Esse movimento deu origem às chamadas Escolas de Mangue, que inicialmente indicavam escolas localizadas à beira de manguezais em Recife e que hoje, já abrangem outras escolas que ficam até mesmo mais distantes. O objetivo das escolas de mangue, segundo uma de suas idealizadoras, a educadora Luciana Maria da Silva, era incentivar alunos e professores da rede pública a protegerem esse ecossistema tão importante, incluindo uma vertente mais "ecológica" em suas atividades. O movimento já tem 13 anos e ampliou tanto a sua atuação, que os encontros das Escolas Mangue já fazem parte do calendário oficial de educação da prefeitura, e inclui 35 escolas municipais. A prefeitura também abraçou a idéia e realiza atualmente passeios diários com um "barco-escola" até o manguezal, pelo rio Capibaribe até a APA dos manguezais, com os alunos das escolas, sempre com orientação de professores. A partir dessa primeira iniciativa de proteção ao manguezal, foi criado oficialmente há dois anos o Centro Escola Mangue, liderado por Luciana, que propõe um tratamento diferenciado à Educação Ambiental, que ela seja não algo que passe transversalmente por todas as matérias ensinadas, como é a educação ambiental atualmente, mas que ela seja a base do ensino para as crianças daquela região. Com o Projeto Escola Mangue "queremos que as crianças tenham um olhar mais crítico sobre a região em que elas vivem, tendo como ponto de partida a cultura e o respeito ao meio ambiente", afirma Luciana, que já abriu duas salas de aula com esse objetivo de ensino.
O movimento pró-mangue chegou também aos pescadores locais, que estão envolvidos na conservação da fauna do manguezal, respeitando as épocas do defeso, não jogando lixo no mangue, e tomando outras atitudes favoráveis ao meio-ambiente. O Centro Josué de Castro também está envolvido nesse trabalho de orientação dos pescadores, que são um dos mais interessados e importantes personagens para a proteção desse ecossistema.

Autor:
Editora-Chefe: Vera Diegoli. Supervisor do Quadro Biodiversidade: Washington Novaes. Pauta: Paula Piccin. Repórter: Cláudia Tavares.Edição de Texto: Mariene Pádua. Produtor Executivo: Maurício Lima.Imagens: Edgar Luchetta. Operador de Áudio: Fernando Emanuel. Edição de Imagens: João Kralik.

Excursão escolar no paradisíaco refúgio ecológico Charles Darwin, em Igarassu-PE, sobre a Mata Atlântica, organizada pelos professores Marcos Timóteo, Raphael Dantas e Diana Couto, do colégio Memorial de Olinda-PE, um belo exemplo de como sair da sala de aula para o contato direto com o conhecimento. Experiência que eternizará a importância da nossa quase extinta Mata Atlântica nas mentes destes privilegiados alunos.



Clique no link abaixo parte 3ª
http://www.youtube.com/watch?v=2t2XuXNTuuM&feature=player_embedded

Leia mais!

domingo, 9 de outubro de 2011

Não deixe está fonte secar.

Escute o som da água correndo para o rio Tejipió, está é uma das belezas encontradas na Mata do Engenho Uchoa um remanescente de 192ha de Mata Atlântica localizada no Barro, Recife (mega metrópole), Brasil.
O Movimento em Defesa da Mata do Engenho com representantes de vários movimentos sociais e o Secretário de Meio Ambiente do Recife Marcelo Rodrigues e Josemário Lucena representando o Secretário de Meio Ambiente do Estado Sérgio Xavier fizeram uma visita a Mata no dia 15.08.2011.
Leia mais!

OS PARQUES DA COPA 2014

Clique no link abaixo
http://www.icmbio.gov.br/o-que-fazemos/visitacao/copa-2014
Leia mais!

sábado, 8 de outubro de 2011

São Bernardo do Campo - Ministra do Meio Ambiente critica instalação de incineradores


O movimento contrário à implantação de uma usina destinada à  incineração de resíduos em São Bernardo do Campo ganhou reforço político na sexta-feira (23/09),  quando a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira reprovou publicamente o projeto proposto pela prefeitura.  Durante seminário sobre meio  promovido na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, por iniciativa do deputado federal Vicente Paulo da Silva (Vicentinho, do PT) e pela própria entidade sindical, a ministra comparou o projeto a uma armadilha para as prefeituras.
A fala de Izabella deixou em saia justa o prefeito Luiz Marinho (PT), que na abertura do evento rebateu críticas dos opositores da denominada Usina Verde, projeto que prevê uma unidade de incineração de resíduos, também destinada à produção de energia na área do antigo Lixão do Alvarenga. O chefe do Executivo alegou que a iniciativa, quando concretizada, envolverá cerca de 1000 trabalhadores, enquanto hoje o sistema de coleta seletiva  emprega apenas 120 catadores organizados nas duas cooperativas existentes da cidade. Segundo ele, o sistema atualmente atinge apenas 0,92% do lixo gerado em São Bernardo, percentual que acredita elevar para 10% com a implantação da usina. Marinho alegou ainda que o projeto “está em sintonia com o plano nacional de resíduos”.
“Cuidado com as armadilhas”, frisou por três vezes Izabella Teixeira, advertindo que muitas prefeituras quebraram e prefeitos se complicaram por causa de investimentos semelhantes. A ministra  deixou claro o compromisso de campanha da presidenta Dilma Rosseff, cujo governo, segundo ela, pretende “lutar até o fim pelos catadores”, em prosseguimento ao apoio dado ao segmento pelo governo Lula.  Compromisso que Izabella disse ter reforçado pessoalmente, ao contar emocionada sobre um episódio em que foi abordada por uma catadora que beijou suas mãos suplicando-lhe que não permita o fim da atividade que gera o ganha-pão da categoria.
“Prioridade zero – A ministra também observou que os catadores são personagens estratégicos na Política Nacional de Resíduos e devem ser tratados como “prioridade zero na estruturação de coleta seletiva por parte das prefeituras”. Sempre se dirigindo a Marinho, Izabella ressaltou que seu  ministério está aberto a discutir projetos de incineração, porém apenas nos casos de rejeitos, ou seja, materiais restantes após todos os processos de manejo possíveis, a partir de ações de redução, reutilização e reciclagem. Lembrou também a logística reversa prevista em lei, que estabelece o retorno de resíduos às empresas de origem.
A ministra do Meio Ambiente disse ainda que o governo não se opõe a projetos baseados em tecnologias e sistemas livres de “dioxinas e furanos”, que são substâncias tóxicas resultantes dos processos de queima de resíduos e que, segundo alertam cientistas e ambientalistas, acarretam graves consequências ambientais e à saúde. A observação teve tom irônico, a exemplo de outros momentos do discurso da ministra, tendo em vista que a intenção da prefeitura de São Bernardo é adotar tecnologia alemã, já descartada no país de origem, por, entre outros fatores, envolver processo altamente poluente.
Além da ministra, o projeto de Marinho foi criticado também pela filósofa  Marilena Chauí, uma das palestrantes do seminário. Ela observou que  países desenvolvidos, como a Alemanha, empurram tecnologias ultrapassadas aos países emergentes, como é o caso dos incineradores.
Protestos - Desde que foi anunciado, o polêmico projeto de Luiz Marinho, está enfrentando protestos de catadores, ambientalistas e especialistas, que alertam para os problemas diversos ocasionados pelos processos de incineração. As manifestações contra a proposta incluem ação popular contra as prefeituras de São Bernardo e Diadema (que também é responsável pelo passivo ambiental do Alvarenga). Saiba mais no Lamparina Urbana. O projeto, a propósito, será debatido nesta sexta-feira (30/9), às 14 na Universidade Metodista de São Bernardo do Campo, tendo como palestrantes técnicos e especialistas, entre os quais o jornalista Washington Novaes.

fonte: Valderez Coimbra (site Lamparina Urbana)

Leia mais!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Movimento participa de Feira Ambiental

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa a convite do professor João Laerte participou através dos(as) coordenadores(ras) Luci Machado, Arlindo Lima e Edmar Neto do encerramento da Feira Ambiental promovia pela Escola Municipal Antônio Brito Alves, localizada no bairro da Mustardinha, Recife, Brasil.
 
15:38 Quarta-feira, 31 de Agosto de 2011



Inaldo Menezes
O evento contou com cerca de 400 participantes
O evento contou com cerca de 400 participantes
O secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Recife, José Bertotti, participou da cerimônia de lançamento do projeto “Recicle! Preserve o Rio Jiquiá”, durante a tarde desta terça-feira (30). O evento promovido pela Associação de Preservação do Meio Ambiente da Mustardinha (APMAM), em parceria com a Escola Municipal Antônio Brito Alves, localizada no bairro da Mustardinha, tem o apoio da Prefeitura do Recife e contou com a participação de mais de 400 alunos e professores do centro educacional. O lançamento aconteceu durante o encerramento da Feira Ambiental promovida pela instituição de ensino.
O projeto “Recicle! Preserve o Rio Jiquiá” tem o objetivo de reciclar o óleo que habitualmente é descartado nas pias de cozinhas ou restaurantes, transformando-o em sabão e sabonete. Com isso, além de evitar que o resíduo entupa os canos e canaletas da localidade, irá impedir que chegue até os canais que desembocam no Rio Jiquiá, preservando, dessa forma, o Meio Ambiente.
A Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Recife tem como missão colocar a pauta da ciência e tecnologia como assunto do dia para todos os recifenses. É fazer com que o conhecimento científico, produzido e acumulado nas universidades e institutos de pesquisa, possa ser de fato utilizado na solução do problema do dia-dia da população. E nesse programa de reciclagem de óleo o conhecimento está sendo aplicado com ênfase em dois objetivos. O primeiro é o de conscientizar pessoas de que resíduos da produção de alimentos podem ser reaproveitados, gerando renda para a população. O segundo motivo, e mais nobre, é o cuidado com o Meio Ambiente”, comentou o secretário.
Kátia Veras, uma das idealizadoras do projeto e conselheira tutelar da Região Político-Administrativa 5 (RPA 5), explicou que uma das motivação para a realização do “Recicle! Preserve o Rio Jiquiá” foi a criação de uma atividade que ensinasse aos jovens a terem mais responsabilidade ambiental, tirando-os da ociosidade por meio de uma nova atividade econômica.
Wiliane de França, 12 anos, uma das estudantes que participará das oficinas que fazem parte do projeto, falou do seu interesse no “Recicle! Preserve o Rio Jiquiá”: “Estou fazendo parte do projeto porque desejo aprender mais sobre como preservar o Meio Ambiente”. A jovem comentou ainda que pretende dar continuidade ao trabalho de preservação por meio da reciclagem do óleo utilizado em cozinhas.
Para essa reciclagem de óleo de cozinha, será montada uma cooperativa com os 30 jovens, com faixa etária de 12 a 16 anos, cadastrados no Bolsa Família, que participarem das oficinas de Fabricação de sabão e sabonete, de Grafitagem e de História, Importância e Preservação do Canal do ABC e do Rio Jiquiá. Os cursos são gratuitos e acontecerão durante quatro meses na Escola Municipal Antônio Brito Alves e no Centro Social Urbano da Mustardinha. Os artigos de limpeza ficarão expostos nos pontos comerciais do bairro da Mustardinha que apoiam a iniciativa.

[TV Jornal] Alunos de escola na Mustardinha transformam oléo de cozinha em sabão


Leia mais!