sábado, 26 de junho de 2010

Solidariedade - Campanha S.O.S. Pernambuco


Campanha S.O.S. Pernambuco
VEJA OS LOCAIS ONDE FAZER SUA DOAÇÃO PARA OS DESABRIGADOS PELAS CHUVAS EM PERNAMBUCO
Faculdade Maurício de Nassau
Rua Guilherme Pinto, 114 - Graças
Rua Fernandes Vieira, 110 - Boa Vista

Faculdade Joaquim Nabuco
Nas cidades de Paulista e Recife

Federação Espírita de Pernambuco
Av. João Barros, 1629 - Recife - PE

Instituto Pró-Cidadania
Rua Castro Alves, 343 - Encruzilhada - Recife/PE

Conselho Regional de Enfermagem
Rua Barão de São Borja, 243 Recife - PE

Outros locais de doação:

Instituto de Assistência Social e Cidadania (Iasc), - Rua Imperial, 203, no Bairro de São José - das 7h às 17h.
Pátio de São Pedro
Bairro de São José – Centro
Sítio Trindade
Estrada do Arraial – das 17h às 22h
Prefeitura do Recife
Av. Cais do Apolo, 925, Bairro do Recife

Assembleia Legislativa
Rua da Aurora
Instituto Federal de Pernambuco
Nas cidades de Recife, Ipojuca, Belo Jardim, Vitória, Pesqueira e Barreiros.
Portarias do Sistema Jornal do Commercio de rádio e TV
Nas cidades do Recife, Caruaru, Pesqueira, Garanhuns.
OAB - Rua do Imperador

Geraldão - Avenida Mascarenhas de Morais, na Imbiribeira, das 8h às 17h.

Solidariedade

No próximo domingo (27), estará acontecendo arrecadação de alimentos, água, roupas, remédios, material de limpeza e higiene para as vítimas das chuvas no interior do Estado.
A ação acontecerá no BAR DO NIVALDO, na Rua onze de agosto - Umuarama - Olinda, a partir das 15hs, ainda terá a apresentação do grupo Baque Mulher e a presença de vários percussionistas, para juntos conseguirmos arrecadar o maior número possível de doações.

Junte - se a nós, traga sua doação!

Serviço:

Domingo solidário em prol das vítimas das chuvas no interior do estado
Dia 27/06
Horário: 15horas
Local: Bar do Nivaldo, Rua onze de agosto - Umuarama - Olinda (Na entrada da Celpe do varadouro, segunda rua à esquerda)
Informações pelo fone: 9982.9551

Leia mais!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

CPRH Marca Audiência! Diga SIM a MATA! Não a Usina de Lixo!

C o n v i t e

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião extraordinária.

Data: 01/07/2010 (quinta-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE.
(próxima a Igreja Católica do Barro)

Assunto: CPRH marca Audiência Pública (CTDR-Central de Tratamento e Destinação de Resíduos) a ser realizada em 08 de julho de 2010 às 9h no Clube das Águias, Rua Cosmorama, 695 – Boa Viagem – Recife/PE – 51.030-640 – Tel. (81) 3342.0819 - Referência (Quartel da Aeronáutica)

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

FLICPE - Faz reunião no Cabo de Santo Agostino


Leia mais!

domingo, 20 de junho de 2010

Saramago, a história de Portugal pelo olhar do oprimido

Cultura

19 de Junho de 2010 - 21h40

“As palavras não dizem tudo quanto é preciso” – escreveu Saramago. No entanto, é a partir elas, quando artisticamente trabalhadas, que temos a literatura.

Por Beatriz Helena*
José Saramago, que “retirou-se” na manhã de ontem, nos deixou vasta e variada obra literária, iniciada pela poesia ( Os Poemas Possíveis, 1966; Provavelmente Alegria, 1970 ), seguindo pela crônica (Deste mundo e do outro, 1971; A Bagagem do Viajante, 1973) e o teatro (A Noite, 1979; Que farei com este livro? 1980; A segunda vida de Francisco de Assis, 1987; In Nomine Dei, 1993).

Com a publicação de Levantado do Chão (1980), alcançou notoriedade, dando início a uma série de romances consagrados, a saber: Memorial do Convento (1982), considerada a sua obra prima até o momento; O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984), onde temos o heterônimo pessoano hedonista instalado em Lisboa durante a ditadura de Salazar; Jangada de Pedra (1986), em que a Península Ibérica separa-se da Europa; História do Cerco de Lisboa (1989); O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991); Ensaio sobre a cegueira (1995), que comentaremos a seguir; Todos os nomes (1997); As intermitências da Morte (2006) e Caim (2009), entre outros.

Dono de um estilo único, caracterizado pela criação de inusitadas metáforas, freqüência do tom irônico, além de apelo aos sentidos, magistralmente conduz o leitor para dentro de cenas das mais inesperadas, oscilando entre o cômico e o trágico, geralmente nos colocando diante do que de mais humano possa haver em nós. Em algumas obras, como O Memorial do convento e O Ano da Morte de Ricardo Reis, trama com a história de Portugal, repensando-a criticamente e confrontando-nos com reflexões inevitáveis. Em outras, como O Ensaio sobre a cegueira, trama com a própria humanidade, descendo ao que de pior as pessoas podem guardar, para depois revelar suas mais dignas e sublimes qualidades.

Concentremos-nos nesta obra. Temos uma cidade sem elementos que possamos identificar, tais quais nome e marcas características (Torre Eifel, Praia de Copacabana ou Coliseum), povoada por personagens que somente estão identificadas através de uma sua atribuição ou condição, ou seja: o primeiro cego, o médico, a mulher do médico, o ladrão (que roubou o carro do primeiro cego), a rapariga de óculos escuros, o velho da venda preta. Sem mais nem porque, inicia-se um surto de cegueira.

O fluxo de consciência permeia seus romances, através de diálogos visualmente misturados, mas que o leitor será perfeitamente capaz de demarcar. Além da escrita particular, ler a obra saramaguiana incomoda pelo que ele diz e o final não é necessariamente o objetivo a ser alcançado, visto que poderemos encontrar nossa própria revelação em mais de um lugar na obra.

À literatura, conquanto arte, não podem ser atribuídos usos e funções, mas a grande literatura dialoga com questões presentes em nossas vidas através dos tempos. Na obra de Saramago temos a história de Portugal, do ponto de vista do povo oprimido, reflexões profundas acerca de quem somos, em geral e em particular e a beleza de frases simples, como em

“Tinha estado com os olhos abertos sempre, como se por eles é que a visão tivesse de entrar, e não renascer de dentro, de repente disse, Parece que estou a ver.”

*Beatriz Helena é pós graduanda em Literatura Portuguesa na Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ.

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=11&id_noticia=131798

Leia mais!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A Mobilização Continua. LIXO NÃO!

C o n v i t e


O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião extraordinária.

Data: 22/06/2010 (terça-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE.
(próxima a Igreja Católica do Barro)

Assunto: Audiência Pública (CTDR-Central de Tratamento e Destinação de Resíduos) a ser realizada em 08 de julho de 2010 às 9h no Clube das Águias em Piedade, Jaboatão dos Guararapes.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim! Lixo Não!
Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Mobilização Já! Audiência Marcada

C o n v i t e

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião extraordinária.

Data: 16/06/2010 (quarta-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE.
(próxima a Igreja Católica do Barro)

Assunto: Audiência Pública (CTDR-Central de Tratamento e Destinação de Resíduos) a ser realizada em 08 de julho de 2010 às 9h no Clube das Águias em Piedade, Jaboatão dos Guararapes.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

domingo, 13 de junho de 2010

Caruaru - Parque Ecológico Professor João Vasconcelos Sobrinho

Serra dos Cavalos / Parque Ecológico Professor João Vasconcelos Sobrinho

O nome do local se deve ao fato de que, no inverno, era impossível trafegar de carro por suas ladeiras. O único meio de chegar à serra era à cavalo.
Na Serra dos Cavalos está o Parque Ecológico Professor João Vasconcelos Sobrinho, reserva estadual de Mata Atlântica, com uma área de brejo de 359 hectares. Passeando por lá, vêem-se açudes que ajudam no abastecimento de água da cidade e uma vegetação riquíssima.
Também existem alguns mirantes naturais com belas vistas e várias trilhas usadas por ecoturistas. Em sua fauna, destacam-se o lobo-guará, a paca, roedores, a cobra coral, a cobra rainha e aves como o jacu, beija-flor, sabiá, gaviões e o pintor verdadeiro.

http://www.braziltour.com/site/br/cidades/materia.php?estados=16&id_cidade=7486®ioes=4

Home > Institucional > Notícias

MAIS 200 MUDAS SÃO PLANTADAS EM SERRA DOS CAVALOS


O Parque ecológico João Vasconcelos Sobrinho, em Serra dos Cavalos, recebe, na manhã desta sexta-feira, 04, um grupo de 120 alunos do ProJovem Adolescente de Caruaru. A preocupação com o meio ambiente segue como foco principal da programação que inclui o plantio de 200 mudas arbóreas nativas, além de palestras com temas ambientais. Os alunos devem conhecer as diversas espécies raras de fauna e flora presentes e podem participar de uma oficina de grafitagem com arte-educadores da Diretoria de Meio Ambiente. O passeio é em comemoração à Semana Mundial do Meio Ambiente.

http://www.caruaru.pe.gov.br/

Leia mais!

sábado, 12 de junho de 2010

Ué? e a proposta da Realisis para a Tamarineira, também não contemplava um parque?

Por Márcia Branco, arquiteta

A crise ambiental da nossa cidade está definitivamente instalada e perfeitamente visível. Haja vista as diferenciadas decisões tomadas pela prefeitura em relação ao destino de nossas áreas verdes, propiciada, em primeira instância, pela ausência de uma política ambiental estruturada.

Podemos falar hoje de três situações semelhantes, com (quase) três soluções distintas sob uma mesma realidade legislativa: A Mata do Engenho Uchoa, a “Tamarineira” a “área da bacardi”.

A primeira, fruto de uma luta cotidiana, insistente, resistente ao longo de 30 anos vê aos poucos essa reserva, na realidade a APA Rousinete Falcão, ser ameaçada pela construção de uma unidade de beneficiamento de lixo, vinculada a uma usina de cogeração de energia (Incineração), por um consórcio privado (Recife-Energia). Curioso é que essa área foi disponibilizada para desapropriação, por decreto, assinado pelo então prefeito João Paulo, com prazo de 5 anos para acontecer. Vencido o prazo, nada aconteceu e a área continuou em “mãos privadas”. O parque natural a ser construído há tanto sonhado, não pode ser viabilizado. (Não havia interesse?). Agora, vem sendo prometida pelo município, desde que instalada a unidade de beneficiamento, como única forma de viabilizá-lo (?). Aparentemente as decisões já foram tomadas, resta saber o que vai acontecer na audiência Pública programada para a primeira semana de julho (?)

A Tamarineira me surpreende pela capacidade de articulação da chamada “classe média”, que se mobiliza, só e somente só, pela possibilidade de defender interesses pessoais, de uma classe, que não se emociona com as perdas acontecidas ao longo dos anos, e viabilizada pela construção sempre frenética de condomínios residenciais ( Não desmerecendo a Lei dos Doze bairros). Condomínios que se utilizam do verde para vender, mas que, contraditoriamente, se desfaz dele a “olhos vistos”... Por que “os amigos da Tamarineira” não se mobilizam por outras áreas verdes da Cidade, tão importantes quanto?

Aqui a prefeitura, depois de ouvidas “todas as partes”, ràpidamente se posicionou contra a construção do shopping. Como? se o mesmo colocou- se enquanto parceria importante para a viabilização de mais um parque na cidade, e com direito a 3 museus. Tudo “bancado pela iniciativa privada. É ruim ter alguém para financiar obras públicas? As parcerias privadas não seriam a “bola da vez”? Ainda... com que recursos a prefeitura vai bancar esse parque, se reconhecemos algumas áreas verdes importantes na cidade e em completo (ou quase) abandono:o Parque de Santana, o Parque do Caiara, o Sítio da Trindade... Isso sem falar de outras áreas verdes, matas urbanas que se encontram entregues ao desamparo e a solidão de uma legislação que não protege, de uma gestão que não toma atitudes e de uma população que não se emociona...

Por último, a “bacardi”, que teve sua apresentação surpreendente aos cidadãos do Recife, em matéria inteira de Jornal , com direito a fotos e promessas de agilidade nas licenças. João Carlos Paes Mendonça (o empreendedor) e João da Costa ( o prefeito do Recife) aparecem de mãos dadas numa certeza eminente de que os acordos estava “selados” e que a área verde da “bacardi”, inserida na Bacia do Pina , iria abrigar o “ maior shopping do Norte-Nordeste” (?!?!). Isso sem um movimento que, emocionado, denuncie a perda de mais uma área verde na cidade.

Restam muitas perguntas:

Por que a prefeitura não viabilizou o Parque Natural da Mata do Engenho Uchoa reivindicada por tantos anos pela população da zona oeste da cidade? Por que essa falta de interesse e até de respeito a esses defensores, moradores de áreas “menos nobres” no município? Por que instalar uma Unidade de beneficiamento de lixo dentro da Área de Preservação Permanente? Não serão usos incompatíveis? Porque não se buscaram os recursos necessários à construção do mesmo? Por que nesse caso reconhecem como única possibilidade de financiamento os recursos advindos de um empreendimento privado?

Em relação à Tamarineira, uma área privada. No que o projeto da Realisis não atendia às exigências da Lei que prevê os IPAVs? Não se permitiu nem que se apresentasse o projeto. Para uma decisão, ouvidas as partes, o município, aparentemente não considerou o problema da mobilidade ou dos residentes no hospital, já que será transformado em Parque. Com que recursos? (se não existem para a Mata do Engenho Uchoa). E a empresa também não propunha financiar um Parque? Um parque numa área em que 70% do verde deve ser preservado? Onde se permite construção e onde elas já existem?Onde o município deveria exercer seu papel de gestor fiscalizando e condicionando o projeto ao atendimento da Lei?

A Bacardi... inserida numa área verde de beleza incontestável, nenhuma reação a favor, ou contra. Acordo selado, sem considerar ao mínimo a mobilidade da área. Ou melhor, com a mobilidade sendo viabilizada através de projetos públicos(?).

Para os amigos, tudo, para os outros, a Lei.

Configura-se dessa forma a construção de uma cidade que, a mercê, de interesses diversos, vai tomando uma aparência bizarra e comprometendo de forma definitiva os desejos e a qualidade de vida de seus habitantes.

Leia mais!

domingo, 6 de junho de 2010

Urna Eletrônica OP: Fortaleça a Posição do PARQUE entre as 10!

Vamos Fortalecer a Nossa Posição entre as 10 Votando na Ação – IMPLANTAÇÃO DO PARQUE NATURAL ECOLÓGICO – ENGENHO UCHOA/BARRO - Nº 4.

Especial de Gestão e Planejamento

COMEÇA VOTAÇÃO DAS URNAS ELETRÔNICAS DO OP NAS MICROS 5.1 E 5.3 DO RECIFE
00:00 Quinta-feira, 3 de Junho de 2010

Carlos Augusto



Necessário um documento de identificação com o número do RG

Moradores têm a oportunidade de reforçar a posição das obras e ações

Por Tiago André Santos

As urnas eletrônicas do Orçamento Participativo do Recife aportam, nos próximos dias, em mais duas Microrregiões da Cidade, 5.1 e 5.3. A segunda fase de votação do OP é destinada aos moradores que não puderam comparecer às plenárias regionais nas suas localidades, e assim fortalecer a posição das dez ações e obras prioritárias já definidas nas reuniões presenciais. Nessa etapa, cada pessoa só pode eleger uma intervenção, e para isso é preciso ter em mãos um documento de identificação com o número do RG.

Nesta sexta-feira (04) e sábado (05), a micro 5.1 recebe os equipamentos do programa municipal, em cinco locais diferentes: estação do metrô Mangueira; giradouro de San Matin; Mercado de Afogados; Praça do Bongi; e Praça Irmã Doroti, na Mustardinha. As urnas ficam à disposição da população das 9h às 17h. Em cada ponto um monitor estará presente para auxiliar no processo de escolha da intervenção. A Microrregião 5.1 abrange os bairros de Afogados, Bongi, Mangueira, Mustardinha e San Martin.


Já na próxima segunda (07) e terça-feira (08), as urnas eletrônicas do OP chegam à Microrregião 5.3 da Cidade, que compreende os bairros de Jardim São Paulo, Coqueiral, Sancho, Tejipió, Totó, Curado e Barro. Também serão disponibilizados cinco pontos para a população da área reforçar as obras e ações que julga mais importantes para as comunidades: CSU Bido Krause, no Totó; estação do metrô Coqueiral; Igreja do Barro; padaria La Roque e shopping São Paulo, em Jardim São Paulo. O horário de votação é o mesmo: das 9h às 17h.


Micro 5.1 – Foram 3.486 participantes nas cinco plenárias regionais do OP na localidade, que definiram na primeira colocação, com 777 votos, a compra de um terreno para habitação em San Martin. O segundo lugar foi para o tema da Assistência Social, com a requalificação do Centro Social Urbano da Mustardinha (509 votos). A construção de PSF na Mustardinha ficou na terceira posição entre as prioridades definidas (492 votos). Ao final dos encontros, 195 delegados foram eleitos pelas comunidades pertencentes à micro 5.1.

Micro 5.3 - Após os quatro encontros da região, nos quais estiveram presentes mais de 2.300 pessoas, a primeira posição geral foi para o tema da saúde, com a ampliação e reforma do PSF, no Barro (377 votos). No segundo lugar, ficou a dragagem do Rio Tejipió – da Rua Ananias Catanho, até pontilhão do metrô de Tejipió (347 votos). Já a contenção de encostas de morro da Rua Leão 13 com Rua Serrinha números 22a, 22b, 22c e 40, no Totó, ficou no terceiro lugar (272 votos). Foram eleitos no total 124 delegados que irão representar as comunidades da micro 5.3 nos fóruns do OP.

http://www.recife.pe.gov.br/2010/06/03/comeca_votacao_das_urnas_eletronicas_do_op_nas_micros_51_e_53_do_recife_172171.php

Leia mais!

sábado, 5 de junho de 2010

Participe diga Sim ao Parque

C o n v i t e

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião ordinária.

Assunto: 1) Documento do FLIC-PE Fórum Lixo e Cidadania de Pernambuco; 2) Audiência Pública e; 3) atuação do Movimento no OP.

Data: 07/06/2010 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Presidente Humberto Castello Branco, Av. Dr. José Rufino, 2.993 - Tejipio – Recife/PE. – Tel. 3252.9941 / 3181.2956

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

MANIFESTO DOS AMIGOS DA TAMARINEIRA

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Patrimônio histórico e cultural do povo de Pernambuco, o Hospital Ulysses Pernambucano, construído com recursos públicos e inaugurado em 1883, hoje especializado no atendimento a pacientes portadores de transtorno mental grave; o CPTRA, Centro de Prevenção e Tratamento do Alcoolismo; e o Hospital Helena Moura, bem como toda a exuberante área verde de quase 80 000 metros quadrados do Sítio da Tamarineira, vinha sendo alvo do interesse da iniciativa privada desde o final da década de 80.
De imediato, surgiu uma grande mobilização da sociedade, formada por entidades da área de saúde, de defesa do meio ambiente, da área cultural, bem como por cidadãos de todas as classes sociais e das mais diversas atividades profissionais, na defesa da manutenção dos serviços aqui prestados, todos de elevado alcance social e de toda a área verde em torno das edificações.
Estava criado assim o Movimento Amigos da Tamarineira.
Numa primeira grande e importante iniciativa a mobilização conseguiu o tombamento do “edifício principal, bem como seu respectivo entorno e demais benfeitorias”, mediante aprovação pelo Conselho Estadual de Cultura e posterior assinatura, pelo governador do Estado, do Decreto 15.650, de 20 de março de 1992.
Em 2004 uma nova conquista do Movimento, a transformação da área em Imóvel de Proteção de Área Verde, em iniciativa do ex-vereador Luiz Helvecio aprovada pela Câmara e sancionada pelo então prefeito.
No entanto, apesar dos impedimentos legais para a descaracterização do chamado Sítio da Tamarineira, continuaram as investidas dos grupos empresariais interessados na privatização do espaço, que contaram, durante todos os momentos, e de forma lamentável, com o apoio da Santa Casa de Misericórdia. É importante ressaltar que lances importantes de suas estratégias foram realizados nas caladas da noite, como foi o caso da assinatura do contrato entre a Santa Casa e o grupo Realesis, em 2008, e que somente veio a tona em fevereiro desse ano de 2010.
A sociedade estava disposta à luta, mesmo sabendo que o enfrentamento exigiria de todos sangue, suor e lágrimas. Nesse espaço várias mobilizações foram realizadas, sempre com importante participação popular, que para aqui vinha com o objetivo de defender o interesse coletivo. Muitos se expressaram na forma de artigos publicados nos meios de comunicação, ora denunciando a ilegalidade do negócio, mas sempre defendendo a manutenção do uso público de todo o espaço.
O anúncio que V. Exa. fez no dia de ontem, prefeito João da Costa, da desapropriação do Sítio da Tamarineira, com o objetivo de serem mantidas as atividades das três unidades de saúde e de ser criado um parque, com o pressuposto básico de manutenção de toda a sua área verde, tem algumas características que precisam ser ressaltadas.
Em primeiro lugar, V. Exa. agiu em perfeita sintonia com a vontade da esmagadora maioria da população; em segundo lugar, V. Exa. decidiu levando em conta a necessidade do Recife em oferecer melhor qualidade de vida à seus moradores; e, por fim, V. Exa. teve visão de futuro, uma vez que todos temos conhecimento das inúmeras ameaças que pairam sobre o mundo, e, em particular, para a nossa cidade, decorrentes do desequilíbrio ambiental.
Temos a certeza, prefeito João da Costa, que a decisão do seu governo significa o início de um novo período para a cidade onde as decisões do gestor público são tomadas em função do bem-estar da população e não do bolso de grupos econômicos.
Nós, que fazemos o Movimento Amigos da Tamarineira, sabemos da importância de nossa luta, bem como da luta de todos, que sempre estiveram a postos, sofrendo e torcendo para que acontecesse o que acontece aqui hoje.
O Movimento Amigos da Tamarineira será mantido. Convocamos todos a se manterem mobilizados. Precisamos garantir que tudo acontecerá conforme anunciado por V. Exa. e conforme o desejo de todos que lutaram em defesa desse espaço.

05 de junho de 2010
Postado por Amigos da Tamarineira às 16:37 0 comentários Links para esta postagem

http://amigosdatamarineira.blogspot.com/search?updated-min=2010-01-01T00%3A00%3A00-08%3A00&updated-max=2011-01-01T00%3A00%3A00-08%3A00&max-results=39

Leia mais!

TAMARINEIRA SIM! Para o Verde Não ter Fim



http://3.bp.blogspot.com/_qokAS_zKc20/S_8osXR0u1I/AAAAAAAAA2E/Eg-clag4NLg/s1600/TAMARINEIRA+SIM.JPG
Leia mais!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Sessão apresentará diretrizes do Plano de Enfrentamento das Mudanças Climáticas

02 de Junho de 2010

Na próxima terça-feira, dia 8, as Comissões de Desenvolvimento Econômico e de Meio Ambiente da Câmara Municipal do Recife realizam uma sessão conjunta para debate do Plano Municipal de Enfrentamento das Mudanças Climáticas. No evento, que faz parte da programação comemorativa da Semana do Meio Ambiente, o secretário municipal do Meio Ambiente, Roberto Arraes, apresentará a síntese de um documento inicial que será posto para discussão com a sociedade e norteará a elaboração do Plano.



O documento, preparado por técnicos da Prefeitura, contextualiza os indicadores que influenciam as alterações climáticas do ponto vista local e indica o desenvolvimento de pesquisas e o monitoramento do clima urbano. Constam ainda orientações que devem ser seguidas pelo município nas áreas de transporte, energia e no uso do solo e de áreas verdes, com a sugestão dos respectivos instrumentos de controle e regulação.

A elaboração do Plano Municipal de Enfrentamento das Mudanças Climáticas está prevista no Plano Diretor do Recife, que estabelece o prazo de um ano para que o município defina o seu patamar de contribuição na redução dos fatores de alteração do clima, tendo em vista a preocupação diante do aquecimento global e das mudanças que estão ocorrendo no planeta.

A sessão acontecerá no Plenarinho da Câmara, a partir das 9 horas da manhã.
http://www.lucianosiqueira.com.br/

Leia mais!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

FLIC-PE POSICIONA-SE CONTRA INCINERADOR EM RECIFE E CABO DE SANTO AGOSTINHO

FÓRUM ESTADUAL LIXO CIDADANIA-PE
E-mail: flicpe@gmail.com

FLIC-PE POSICIONA-SE CONTRA INCINERADOR EM RECIFE E CABO DE SANTO AGOSTINHO

Posição do Fórum Estadual Lixo e Cidadania, do Movimento Nacional dos Catadores em Pernambuco e das entidades abaixo relacionadas, sobre a implantação de um incinerador de resíduos sólidos no Recife

O Fórum Estadual Lixo e Cidadania e o Movimento Nacional dos Catadores em Pernambuco, assim como todas as entidades abaixo relacionadas, considerando os impactos negativos de ordem social, ambiental e econômica, trazem ao público pernambucano seu posicionamento contrário à implantação de um incinerador de lixo do Consórcio Recife Energia que a Prefeitura da Cidade do Recife tem a intenção de contratar com dinheiro público para queimar todos os resíduos sólidos gerados na cidade, pelos motivos expostos abaixo.

1. As soluções para a gestão dos resíduos sólidos nas cidades devem atender aos princípios dos 3 Rs – reduzir a produção, reutilizar ao máximo e reciclar, reintegrando os resíduos sólidos à natureza em forma de composto orgânico e aos processos produtivos na forma de matéria-prima reciclável, sempre nesta ordem;
2. O aproveitamento energético com a utilização de resíduos sólidos deve ocorrer a partir da geração de biogás em aterros sanitários e os benefícios advindos devem ser distribuídos à sociedade
3. A incineração é a solução de tratamento dos resíduos sólidos mais cara existente no mundo e todas as despesas com a implantação e operação será com dinheiro público;
4. A incineração aumenta o aquecimento global e contribui para agravar o problema das mudanças climáticas;
5. A incineração polui o ar e é responsável pela emissão de dioxinas e furanos, as mais agressivas substâncias já existentes na natureza;
6. A incineração não elimina a necessidade de aterros sanitários, o que vai encarecer mais ainda os custos de operação dos serviços de limpeza urbana com tratamento e destinação final;
7. Além de todos os problemas sociais, ambientais e econômicos que a incineração provoca, a implantação deste incinerador está sendo proposta, de forma absurda, para a Mata de Engenho Uchôa, última reserva ecológica com resquícios de Mata Atlântica que existe na cidade do Recife
8. Este incinerador irá criar um grave problema social com o desemprego de trabalhadores das indústrias e empresas de reciclagem de plástico, papelão, papel e outros materiais de elevado poder calorífico
9. Os catadores de materiais recicláveis que sobrevivem dos resíduos sólidos e prestam um serviço exemplar à sociedade ao reintegrar à produção e ao consumo os materiais que esta mesma sociedade joga fora, o que trás benefícios ambientais, sociais, sanitários e econômicos, serão os maiores prejudicados com a destruição da sua única fonte de renda, o que agravará mais ainda o problema social;

10. Este projeto foi concebido em gabinetes, não integra nenhum planejamento na área de resíduos sólidos elaborado pela Prefeitura do Recife, não está contemplado no Plano Diretor e seu o processo licitatório foi bastante questionado desde o início;

11. O projeto contempla que a propriedade dos resíduos sólidos passa a ser exclusiva do consórcio de
empresas que querem implantá-lo, impedindo que qualquer pessoa, catador, empresa, instituição, etc., possam manipular com o lixo durante o período desta concessão quase interminável;

Defendemos a redução, reutilização e reciclagem do lixo, a compostagem da matéria orgânica, a coleta seletiva operada por organizações de catadores de materiais recicláveis, o aproveitamento energético do lixo a partir do biogás, a transparência nos processos licitatórios, a publicação dos serviços de limpeza pública e a destinação final adequada dos resíduos sólidos.


SECRETARIA EXECUTIVA DO FÓRUM LIXO E CIDADANIA FLIC-PE / E-mail: flicpe@gmail.com
CEDECOM – Fone/Fax (081) 3223-3759 / E-mail: cedecom@cedecom.org.br ABES- Fone/Fax (081) 3227-3806
ASPAN – SECTMA - UFPE- PREFEITURA DE ARCOVERDE – MNCMR – MOVIMENTO NACIONAL DOS CATADORES

Leia mais!