quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Catadores do ABC temem instalação de incinerador na região

Movimentos Sociais

Catadores do ABC temem instalação de incinerador na região

13/12/2010

Catadores de materiais recicláveis da região do ABC, na Grande São Paulo, mostram preocupação com a iniciativa da prefeitura de São Bernardo do Campo de instalar um incinerador de lixo na região. O projeto está em discussão e é tema de uma audiência pública no município nesta sexta-feira (10).

Apenas há um mês houve uma aproximação entre representantes da administração municipal e o Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR), que teme a perda de oportunidades de trabalho na região.

"Os catadores de todas as cidades do ABC podem ser prejudicados já que as prefeituras vão poder mandar o material para ser incinerado em São Bernardo. Somos contra o incinerador, o dinheiro que vai ser investido nesta usina vai faltar para a coleta seletiva", afirma a coordenadora estadual do MNCR, Mônica da Silva.

A adoção de incineradores é apontada por gestores públicos como uma alternativa para lidar com os resíduos sólidos em acordo inclusive com a política nacional para a questão, sancionada neste ano pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os principais pontos positivos seriam permitir o saneamento sanitário de áreas usadas como lixões sem o devido aterramento, além de permitir a captação de recursos internacionais por meio do mercado de carbono controlado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Os catadores, porém, temem que a medida signifique queimar, literalmente, a fonte de renda dos trabalhadores. A prefeitura promete garantir centrais de triagem e ampliar a coleta seletiva, mas mesmo assim a iniciativa é vista com desconfiança.

Para Mônica da Silva, a prefeitura de São Bernardo percebeu a mobilização dos catadores e por isso abriu o diálogo com o movimento. O próprio gabinete do prefeito convocou as duas últimas reuniões, quando algumas demandas dos catadores foram ouvidas.

As divergências em relação à prefeitura começaram desde o início da atual gestão de Luiz Marinho (PT), em 2008, e só começaram a ser superadas em novembro, quando duas reuniões foram realizadas entre a prefeitura e o MNCR.

A relação ainda é repleta de arestas, como o próprio fato de que os catadores só tomaram conhecimento da audiência pública desta sexta e dos procedimentos para participar dela no segundo encontro, quando o prazo para inscrição estavam encerrados.

Com informações da Brasil Atual

Fonte: http://portalctb.org.br/site/movimentos-sociais/catadores-do-abc-temem-instalacao-de-incinerador-na-regiao

Leia mais!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Lixo: mais uma polêmica


Publicado em 10.12.2010 - Folha de Pernambuco
Grupo luta contra instalação de unidade de triagem no Recife

ANDERSON BANDEIRA

Representantes do Movimento em Defesa da Mata Uchôa, Zona Oeste do Recife, estiveram, na manhã de ontem, na redação da Folha de Pernambuco para expressar suas preocupações às futuras instalações de uma unidade de triagem de lixo no Engenho Uchôa, em Tejipió. Após conseguir apoio da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho para evitar a instalação de uma usina incineradora de resíduos naquela cidade, os integrantes almejam, agora, que a unidade de triagem no Recife também seja descartada pela administração pública. “Entendemos que existem outras formas de se tratar o lixo que não seja a triagem com a incineração”, explicou Luci Machado, componente do movimento.


Segundo o movimento, a empresa Consórcio Recife Energia, vencedora da licitação da Prefeitura do Recife, pretende instalar uma unidade de triagem dos lixos sólidos de toda Cidade. Isso, de acordo com eles, causaria um grande impacto ambiental para as comunidades que vivem na região. No local das futuras instalações existem cerca de 192 hectares de área preservada. Atualmente, o processo de licença ambiental para a construção da Central de Tratamento e Destinação de Resíduos (CTDR) está sendo analisado pela CPRH.

Para o membro da EcoVida, Jairo Lima, a área almejada pela empresa para a implantação da unidade de triagem é pretendida pela população como área de lazer há tempos. “Estamos lutando há 30 anos para obter um parque natural para a população”. Ainda de acordo com Jairo, o objetivo em barrar a implantação está ligado à preocupação com o meio ambiente. “Somos contra a vinda da usina e queremos outra forma de tratamento do lixo”, comentou.

O projeto tocado pelo Consórcio Recife Energia está inserido dentro do contrato com a Prefeitura do Recife, de R$ 308 milhões, que irá tratar os resíduos sólidos da Cidade pelos próximos 20 anos. Pelo acordado, através da licitação, a empresa ficará responsável por implantar a central de triagem e beneficiamento de lixo às margens da BR-101 nas proximidades da reserva ambiental da Mata do Engenho Uchôa, e a usina de cogeração, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana.

Procurada para saber sobre o posicionamento da empresa diante da não concessão da prefeitura do Cabo, o Consórcio Recife Energia informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que está avaliando alternativas de localidades onde poderá ser instalada esta futura usina. Quanto ao projeto da unidade de triagem no Recife, o consórcio informou que manterá os planos de investimentos para o local.

Leia mais!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Cabo veta usina de geração de energia no município

» TRATAMENTO DE RESÍDUOS
Cabo veta usina de geração de energia no município
Publicado em 09.12.2010 - Jornal do Commercio - Cidades - Ciência / Meio Ambiente

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, vetou a instalação de uma usina de geração de energia por meio de resíduos no município. A usina seria a segunda etapa da destinação do lixo da cidade do Recife. A primeira etapa compreende a seleção dos resíduos numa área da mata do Engenho Uchoa, no Barro, Zona Oeste do Recife. De acordo com a secretária de Meio Ambiente do Cabo, Berenice Andrade Lima, o principal fator que levou a prefeitura a negar o pedido de instalação foi a localização da usina, no Centro da cidade. “A área já está saturada, pois temos o comércio da cidade e residências, além do tráfego para o distrito industrial na margem da BR-101”, esclarece a secretária.

Segundo ela, o tráfego de caminhões que levariam os resíduos para a usina iria trazer mais complicações para a região. “Além disso, parte da população também se posicionou contra a instalação do empreendimento na cidade”, acrescenta Berenice. A assessoria de comunicação da Prefeitura do Cabo informou que não foi apresentado outro local para a instalação da usina porque a prefeitura é contra a ida do empreendimento para a cidade.

Uma das fundadoras e coordenadoras do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa, Luci Maranhão, recebeu a notícia com entusiasmo. “Foi uma grande vitória para todos que lidam com a preservação do meio ambiente. Se a prefeitura do Cabo entendeu que a usina seria prejudicial para a cidade, por que a Prefeitura do Recife também não se dá conta de que isso é um absurdo? Há outras alternativas para o tratamento do lixo que não seja a destruição de uma área de preservação”, observa.

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) informou que o processo de licenciamento ambiental da Central de Tratamento e Destinação de Resíduos (CTDR) está em análise. O projeto foi apresentado durante uma audiência pública realizada no mês de julho deste ano. Em novembro do ano passado, a Câmara de Vereadores do Recife aprovou uma lei que altera o Código de Meio Ambiente da cidade e proíbe a instalação de empreendimentos de triagem, tratamento ou destinação final de resíduos sólidos em Áreas de Preservação Ambiental (APAs). Atualmente, o lixo do Recife é levado para dois aterros sanitários privados localizados em Jaboatão dos Guararapes e Igarassu, na Região Metropolitana.

O gerente de engenharia do consórcio Recife Energia, Paulo Pontual, responsável pela instalação das usinas no Recife e no Cabo, informou que o empreendimento não irá gerar transtornos ambientais para a cidade. “O processo é completamente limpo. Os resíduos serão armazenados em um galpão e a fumaça da incineração será menos poluente que a queima de diesel feita pelos carros”, explicou o engenheiro.

Segundo ele, o interesse do consórcio em instalar a usina no Cabo de Santo Agostinho é direcionar o gás proveniente da queima dos resíduos nas indústrias. Agora, o consórcio busca uma nova área também num distrito industrial. Os locais mais cotados são Suape, o bairro do Curado ou no distrito industrial que será criado em São Lourenço da Mata.

Leia mais!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Prefeitura do Recife Regulamenta Parque dos Manguezais


Foto: Priscilla Buhr/JC Imagem, 01.12.2010.



02/Dez/2010 :: Edição 133 ::

Cadernos do Poder Executivo

Poder Executivo
Prefeito em exercício Milton Coelho



Decreto

DECRETO Nº 25.565 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2010.
EMENTA: Regulamenta a Unidade Protegida Parque dos Manguezais, em conformidade com o Plano Diretor do Recife - Lei Municipal nº. 17.511/2008 e com a Lei Federal nº. 9.985/2000 que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC e dá outras providências.

CAPÍTULO I
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 1º Fica regulamentada a Unidade Protegida Parque dos Manguezais, instituída pela Lei Municipal nº. 16.176/96, alterada pela Lei Municipal nº. 17.511/08 e declarada neste ato Unidade de Conservação da Natureza, na categoria de Parque Natural Municipal, do Grupo de Proteção Integral, de acordo com a Lei Federal nº. 9.985/2000.

§ 1º O Parque dos Manguezais Josué de Castro, assim denominado pela Lei Municipal nº. 17.542/09, fica declarado neste ato como Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro.

§ 2º O Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro possui área de 320,34 (trezentos e vinte vírgula trinta e quatro) hectares e está localizado no complexo estuarino dos rios Capibaribe, Jordão, Pina e Tejipió, na zona sul do Recife, entre os bairros da Imbiribeira, do Pina e de Boa Viagem, na Região Político-administrativa - RPA 6, conforme delimitado no Plano Diretor do Recife (Lei Municipal nº. 17.511/08).

§ 3º O Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro possui aproximadamente 12,95 (doze vírgula noventa e cinco) hectares de terra firme na Ilha das Cabras, local da extinta Rádio Pina, e aproximadamente 0,85 (zero vírgula oitenta e cinco) hectares de terra firme na Ilha do Simão, de acordo com a Planta de Situação do ano de 1995 da Diretoria de Obras Civis da Marinha.

§ 4º De acordo com o § 4º do Artigo 11 do SNUC, o Parque Natural Municipal tem como objetivo a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

§ 5º O zoneamento do Parque está delimitado em mapa no Anexo I, parte integrante deste Decreto.

§ 6º O Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro apresenta os seguintes atributos naturais e histórico-culturais:

I. porção representativa de manguezal;
II. as Ilhas das Cabras e do Simão;
III. os Rios Pina e Jordão;
IV. as formas de relevo: planície flúvio-lagunar e baixios de maré;
V. a fauna local;
VI. as instalações da antiga Rádio Base Naval do Pina.

§ 7º O Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro insere-se no complexo hídrico do Manguezal do Pina, que desempenha funções de:

I. berçário de diversidade biológica;
II. amortecedor das marés;
III. receptor da macro drenagem das zonas Sul, Oeste e Sudoeste da Cidade;
IV. produtor de nutrientes;
V. mantenedor da identidade anfíbia da paisagem do Recife.

Art. 2º Para os fins previstos neste Decreto, entende-se por:

I. unidade de conservação da natureza - o espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo poder público, com objetivos de conservação e limites definidos, sob regime especial de administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de proteção.
II. plano de manejo - o documento técnico mediante o qual, com fundamento nos objetivos gerais de uma Unidade de Conservação, se estabelecem o seu zoneamento e as normas que devem presidir o uso da área e o manejo dos recursos naturais, inclusive a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão da Unidade.
III. zoneamento: a definição de setores ou zonas em uma unidade de conservação com objetivos e normas específicos, com o propósito de proporcionar os meios e as condições para que todos os objetivos da unidade sejam alcançados de forma harmônica e eficaz.

CAPÍTULO II
DO ZONEAMENTO

Art. 3º O Zoneamento do Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro define as seguintes zonas, conforme o Roteiro Metodológico de Planejamento para esta categoria de Unidade de Conservação da Natureza, elaborado pelo IBAMA:

I. Zona Primitiva - ZP;
II. Zona de Uso Extensivo - ZUEx;
III. Zona de Uso Intensivo - ZUI;
IV. Zona de Recuperação - ZR.

SEÇÃO I
DA ZONA PRIMITIVA - ZP

Art. 4º Na ZP, a ação pública tem como objetivos preservar o ambiente natural e ao mesmo tempo facilitar as atividades de pesquisa científica e Educação Ambiental, permitindo formas primitivas de recreação.

§ 1º A Zona Primitiva compreende áreas com predominância do ecossistema manguezal, apresentando fauna e flora significativas.

§ 2º A Zona de Uso Primitiva está delimitada conforme o Anexo I.

SEÇÃO II
DA ZONA DE USO EXTENSIVO - ZUEx

Art. 5º Na ZUEx, a ação pública tem como objetivo manter o ambiente natural com mínimo impacto humano, oferecendo acesso ao público e permitindo a implantação de equipamentos de apoio às atividades educativas e de interpretação ambiental e patrimonial, com destaque à memória do Parque das Antenas da Estação Rádio-Base Naval do Pina.

§ 1º Nesta Zona será permitido o acesso ao público para visitação controlada;

§ 2º A Zona de Uso Extensivo está delimitada conforme o Anexo I.

SEÇÃO III
DA ZONA DE USO INTENSIVO - ZUI

Art. 6º Na ZUI, a ação pública tem como objetivos facilitar a recreação intensiva e o desenvolvimento de atividades de Educação Ambiental e Patrimonial em harmonia com o meio.

Parágrafo único - A Zona de Uso Intensivo está delimitada conforme o Anexo I.

SEÇÃO IV
DA ZONA DE RECUPERAÇÃO - ZR

Art. 7º Na ZR, a ação pública tem como objetivos conter a degradação dos recursos naturais e restaurar a área.

§ 1º Esta Zona, quando recuperada, deve passar a constituir a Zona Primitiva e a Zona de Uso Extensivo.

§ 2º A Zona de Recuperação está delimitada conforme o Anexo I.

CAPÍTULO III
DO USO E DA OCUPAÇÃO DO SOLO

Art. 8º No Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro só serão permitidas edificações nas áreas de terra firme.

Parágrafo único - Os projetos a serem implantados nas áreas a que se refere o caput devem apresentar levantamentos topográficos de forma a delimitar esses espaços.

Art. 9º Na Zona Primitiva serão admitidas atividades de pesquisa, monitoramento, proteção, educação e controle ambiental e visitação restritiva e de baixo impacto, sendo permitidas apenas passarelas e torres de observação.
§ 1º Na ZP, as trilhas devem ser implantadas em passarelas sobre estacas (palafitas) ou suspensas com utilização de materiais que garantam a harmonia com a paisagem natural.

§ 2º Na área de terra firme desta Zona poderá ser implantado um equipamento de apoio às pesquisas científicas.

Art. 10. Na Zona de Uso Extensivo serão admitidas atividades de pesquisa, monitoramento, proteção, visitação controlada, trilhas acessíveis, sinalização, mirantes, torres de observação e pontos de descanso, não sendo permitida a comercialização de alimentos.

Parágrafo único. Na ZUEx, a erradicação ou poda da cobertura vegetal só será permitida quando necessária à abertura de visadas ou descortino da paisagem.

Art. 11. Na Zona de Uso Intensivo serão admitidas atividades de visitação e a implantação de infraestrutura de apoio, tais como:

I. unidade administrativa e de manutenção;
II. espaço de pesquisa e proteção da Unidade;
III. estacionamento;
IV. centro de visitantes;
V. equipamentos culturais;
VI. centro de educação ambiental e patrimonial;
VII. mirantes, torres de observação;
VIII. pontos de venda de souvenirs.

Art. 12. Na Zona de Recuperação, serão admitidas atividades de recuperação natural ou induzida dos ecossistemas degradados, pesquisa, proteção, educação e controle ambiental.

Parágrafo único. A recuperação ambiental induzida estará condicionada a um projeto específico aprovado pela Secretaria de Meio Ambiente - SEMAM.

CAPÍTULO IV
DOS PARÂMETROS URBANÍSTICOS

Art. 13. Os parâmetros urbanísticos exigidos para o Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro são os seguintes:

I. Taxa de Ocupação (TO) - é o percentual expresso pela relação entre a área da projeção da edificação sobre a área do lote;
II. Taxa de Solo Natural (TSN) - é o percentual mínimo da área do terreno a ser mantida nas suas condições naturais, tratada com vegetação e variável por setor;
III. Gabarito - altura de referência para a edificação, em metros, medida do meio fio até seu ponto mais alto.

§ 1º Os parâmetros urbanísticos no Parque Natural referem-se às áreas de terra firme.

§ 2º Os parâmetros urbanísticos de que trata o caput são definidos por setor, conforme Tabela e requisitos contidos no Anexo II deste Decreto.

CAPÍTULO V
DA IMPLANTAÇÃO, DO MANEJO E DA GESTÃO

Art. 14. O Poder Público promoverá, gradualmente, de acordo com a legislação existente, a implantação do Parque, garantindo a instalação de unidade administrativa no local, as devidas condições de funcionamento, de segurança e de acesso ao público, além de orçamento próprio para esta Unidade de Conservação da Natureza.

Art. 15. O Plano de Manejo do Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro deve abranger toda a sua área e incluir medidas que promovam a proteção integral e a sua integração à vida das comunidades vizinhas.

§ 1º Este Decreto é parte integrante do Plano a que se refere o caput deste artigo, o qual deverá ser complementado com Programas Temáticos, de acordo com o Roteiro Metodológico de Planejamento do IBAMA.

§ 2º Os Programas Temáticos deverão ser aprovados pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente - COMAM.

§ 3º O Plano de Manejo deverá ser disponibilizado para consulta do público na sede do Parque e na sede da SEMAM.

§ 4º A aprovação de projetos, o funcionamento das atividades, a execução de obras ou serviços, a instalação de equipamentos, inclusive os indicativos e de publicidade, ou qualquer outra intervenção no Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro deve obedecer ao estabelecido neste Decreto e nas legislações pertinentes, bem como nos demais instrumentos normativos da Unidade.

§ 5º A capacidade de carga de visitação ao Parque Natural será definida em estudo específico.

Art. 16. A SEMAM promoverá a viabilização de Projetos de Arquitetura Paisagística, de Drenagem, de Recuperação Ambiental e de seus complementares para o Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro, em conformidade com este Decreto e com o que estabelece o Artigo 193 do Plano Diretor (Lei nº 17.511/2008).

§ 1º A elaboração dos projetos de que trata o caput deverá ser acompanhada por equipe técnica da SEMAM, e submetidos à homologação do Conselho Municipal de Meio Ambiente.

§ 2º Os Projetos de Revitalização e/ou Implantação de Área Verde - PRAVs a serem executados no Parque deverão ser adequados aos Projetos referidos no caput deste Artigo.

Art. 17. O Parque Natural Municipal será administrado pela SEMAM, e de forma complementar e solidária pelos demais órgãos municipais competentes.

§ 1º O Parque Natural Municipal dos Manguezais Josué de Castro disporá de um Conselho Consultivo, de composição paritária constituído por representantes de órgãos públicos e de organizações da sociedade civil indicados pelos setores a serem representados, de acordo com o Decreto Federal nº. 4.340/2002, sendo composto de:

I. 1 (um) representante da Secretaria de Meio Ambiente - SEMAM que o presidirá;
II. 1 (um) representante da Secretaria de Controle e Desenvolvimento Urbano e Obras;
III. 1 (um) representante da Secretaria de Serviços Públicos;
IV. 1 (um) representante da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico;
V. 1 (um) representante da Secretaria de Turismo;
VI. 1 (um) representante da Secretaria de Saneamento;
VII. 1 (um) representante do IBAMA;
VIII. 1 (um) representante da SECTMA;
IX. 2 (dois) representantes das associações de moradores ou de condomínios residenciais do entorno do Parque;
X. 1 (um) representante do Orçamento Participativo da micro-região em que se insere o Parque;
XI. 1 (um) representante do PREZEIS de ZEIS existentes na área do entorno do Parque;
1 (um) representante das instituições acadêmicas ou de pesquisa correlatas a temática ambiental;
XII. 1 (um) representante de entidades empresariais do entorno do Parque;
XIII. 2 (dois) representantes de organizações não governamentais que atuam na área socioambiental.


§ 2º A SEMAM organizará fórum eleitoral para a escolha das representações da sociedade civil.

§ 3º O mandato do conselheiro é de dois anos, renovável por igual período, não remunerado e considerado atividade de relevante interesse público.

§ 4º O Conselho Municipal de Meio Ambiente - COMAM será o órgão colegiado deliberativo de gestão do Parque.

§ 5º O Parque Natural pode ser gerido por Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP com objetivos afins aos da unidade, mediante instrumento a ser firmado com o Órgão responsável por sua gestão, desde que esta não esteja representada no Conselho Consultivo.


Art. 18. São competências do Conselho Consultivo do Parque:

I. elaborar seu Regimento Interno, no prazo de noventa dias, contados da sua instalação;
acompanhar a elaboração, implementação e revisão do Plano de Manejo do Parque, quando couber, garantindo o seu caráter participativo;
II. buscar a integração do Parque com outras unidades protegidas e com o seu entorno;
esforçar-se para compatibilizar os interesses dos diversos segmentos sociais, relacionados com o Parque;
III. acompanhar o orçamento e o Relatório Financeiro elaborado pelo Órgão responsável pela gestão do Parque em relação aos objetivos da Unidade Protegida;
IV. opinar sobre a contratação e os dispositivos do Termo de Parceria com OSCIP, na hipótese de gestão compartilhada do Parque;
V. acompanhar a gestão por OSCIP, quando houver, e recomendar a rescisão do Termo de Parceria, quando constatada irregularidade;
VI. manifestar-se sobre obra ou atividade potencialmente causadora de impacto no Parque;
propor diretrizes e ações para compatibilizar, integrar e otimizar a relação com a população do entorno;
VII. pronunciar-se ao COMAM, presencialmente ou por escrito, quando solicitado, visando embasar deliberação desse Conselho.


Art. 19. A gestão compartilhada do Parque pode acontecer em conformidade com o Termo de Parceria firmado com a SEMAM, nos termos da Lei Federal nº 9.790/1999, desde que a OSCIP preencha os seguintes requisitos:
I. tenha dentre seus objetivos institucionais a proteção do meio ambiente ou a promoção do desenvolvimento sustentável; e
II. comprove a realização de atividades de proteção ao meio ambiente ou de desenvolvimento sustentável, preferencialmente no Parque, em outra Unidade de Conservação da Natureza ou Unidade de Conservação da Paisagem ou no mesmo bioma do Parque.

Art. 20. O Edital para Seleção de OSCIP, visando à gestão compartilhada, deve ser publicado com no mínimo sessenta dias de antecedência, em jornal de grande circulação na Cidade e no Diário Oficial do Município, nos termos da Lei Federal nº 8.666/1993.

Parágrafo único. Os Termos de Referência para a apresentação de proposta pelas OSCIPs serão elaborados pela Secretaria de Meio Ambiente, ouvido o COMAM.

Art. 21. A OSCIP deve encaminhar anualmente e até o dia 30 do primeiro mês do ano subsequente, Relatório das Atividades no Parque para apreciação da Secretaria de Meio Ambiente e do COMAM.

Art. 22. A reunião do Conselho Consultivo do Parque deve ser pública, com pauta preestabelecida e em local de fácil acesso.

Art. 23. Compete à Secretaria de Meio Ambiente:
I.convocar o Conselho Consultivo com antecedência mínima de sete dias.
II.prestar apoio à participação dos conselheiros nas reuniões.

Art. 24. São proibidas no Parque:

I. quaisquer alterações, atividades ou modalidades de utilização, em desacordo com seus objetivos, seu Plano de Manejo e seus regulamentos ou normas.
II. a introdução de espécies não autóctones, com exceção dos animais e plantas necessários à administração e às atividades, de acordo com o que definir o seu Plano de Manejo, seus regulamentos e suas normas.

Art. 25. A Secretaria de Meio Ambiente articular-se-á com a comunidade científica com o propósito de incentivar o desenvolvimento de pesquisas sobre a fauna, a flora e a ecologia do Parque.

Art. 26. A visitação pública e a pesquisa científica estão sujeitas às normas e restrições estabelecidas no Plano de Manejo do Parque, em regulamento ou norma criada pelo Poder Público.

Parágrafo único. As pesquisas científicas dependem de autorização prévia do Órgão responsável pela sua administração, estão sujeitas à fiscalização do órgão competente e não podem colocar em risco a sobrevivência das espécies existentes no Parque.

Art. 27. A exploração comercial de produtos, subprodutos ou serviços obtidos ou desenvolvidos a partir dos recursos naturais, biológicos, cênicos ou culturais ou da exploração da imagem do Parque, dependerá de prévia autorização e sujeitará o explorador a pagamento, conforme dispuser o Plano de Manejo, os regulamentos, normas ou legislação específica.

Parágrafo único. Quando a finalidade do uso da imagem do Parque for preponderantemente científica, educativa ou cultural, o uso será gratuito.

Art. 28. No processo de autorização da exploração comercial de produto, subproduto ou serviço do Parque, a SEMAM deve viabilizar a participação de pessoas físicas ou jurídicas, observando-se os limites estabelecidos pela legislação vigente sobre licitações públicas e demais normas em vigor.

Art. 29. A autorização para exploração comercial de produto, subproduto ou serviço do Parque deve estar fundamentada em estudos de viabilidade econômica e investimentos elaborados pela SEMAM, ouvido o Conselho Consultivo do Parque, em conformidade com o Decreto Federal nº 4.340/2002.

Art. 30. Os órgãos responsáveis pela administração do Parque podem receber recursos ou doações de qualquer natureza, nacionais ou internacionais, com ou sem encargos, provenientes de organizações privadas ou públicas ou de pessoas físicas que desejarem colaborar com a sua conservação.

Parágrafo único. O Poder Público estimulará essa participação, ao buscar colaboradores, que serão considerados parceiros do Parque.

Art. 31. Os recursos obtidos mediante a cobrança de taxa de acesso ao Parque, bem como de atividades e serviços nele executados, serão aplicados na implantação, manutenção e gestão desta Unidade de Conservação da Natureza.

CAPÍTULO VI
DAS PENALIDADES

Art. 32. A ação ou omissão das pessoas físicas ou jurídicas que importem inobservância aos preceitos da legislação vigente, do Plano de Manejo, seus regulamentos ou normas ou resultem em dano à flora, à fauna e aos demais atributos naturais do Parque, bem como às suas instalações, sujeita os infratores às sanções previstas em lei.

CAPÍTULO VII
DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS E FINAIS

Art. 33. Até que seja concluído o Plano de Manejo:

I. Todas as atividades e obras desenvolvidas no Parque devem se limitar àquelas destinadas a garantir a integridade dos recursos que a Unidade objetiva proteger e serem submetidas à aprovação da Secretaria de Meio Ambiente.
II. A SEMAM deverá formalizar e implementar ações de proteção e de fiscalização.

Art. 34. O Plano Municipal de Mobilidade deverá contemplar a conexão multimodal da Cidade com o Parque, adotando a solução de menor impacto ambiental e garantindo a acessibilidade e a segurança aos seus visitantes.

Art. 35. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Recife, 01de Dezembro de 2010.

MILTON COELHO DA SILVA NETO
Prefeito do Recife em exercício

ANEXO I
(CONFIRA EM ANEXO)

ANEXO II

PARÂMETROS URBANÍSTICOS E REQUISITOS ESPECIAIS PARA UCN PARQUE NATURAL MUNICIPAL DOS MANGUEZAIS JOSUÉ DE CASTRO

SETORES PARÂMETROS URBANÍSTICOS REQUISITOS ESPECIAIS
TO TSN gabarito
ZP ---- 99,5% ---- a, b
ZUEx 1,5% 65% 10 m b, c, d
ZUI 5,0% 80% 10 m c
ZR ---- 100% ---- ----

REQUISITOS ESPECIAIS
a) Será permitida, mediante análise especial, a implantação de passarela sobre estacas, de torre de observação e de equipamentos de apoio na área de terra firme existente na Ilha do Simão apenas para objetivos de Pesquisa Científica, Educação Ambiental e vigilância;
b) Análise especial para o gabarito e TO da torre de observação e de equipamentos de apoio;
c) O afastamento mínimo entre as edificações a serem construídas e/ou reformadas bem como entre essas e as vias de acesso, ciclovias, trilhas, passeios ou similares deverá ser de 5 metros;
d) Análise especial para os gabaritos das torres de observação, das passarelas, das caixas d'agua e/ou de máquinas e outras infraestruturas correlatas.

DECRETO Nº 25.566 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2010.
EMENTA: Abre Crédito Suplementar
O PREFEITO DA CIDADE DO RECIFE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do artigo 54 da Lei Orgânica Municipal, de 04 de abril de 1990, e tendo em vista o que dispõem o artigo 8º, o artigo 11 e o inciso III do artigo 14 da Lei nº 17.587, de 14 de dezembro de 2009,
D E C R E T A:

Art. 1º Ficam abertos, aos Orçamentos dos órgãos abaixo discriminados, os créditos suplementares no valor de R$ 625.663,95 (seiscentos e vinte e cinco mil, seiscentos e sessenta e três reais e noventa e cinco centavos), destinados ao reforço de dotações orçamentárias conforme discriminação a seguir:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
3700 - SECRETARIA DE HABITAÇÃO
3701 - Secretaria de Habitação - Administração Direta
3701.16.482.1.219.2.082 - Implementação de Projetos Habitacionais
4.4.90.51-FT 0100 - Obras e Instalações 12.000,00
4.4.90.92-FT 0100 - Despesas de Exercícios Anteriores 440.663,95

5900 - SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
5902 - Instituto de Assistência Social e Cidadania - IASC
5902.04.331.3.101.2.153 - Encargos com Benefícios aos Servidores
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 53.000,00

6200 - SECRETARIA DE CULTURA - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
6201 - Fundação de Cultura Cidade do Recife - FCCR
6201.13.392.1.211.2.304 - Promoções de Ações Culturais
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 120.000,00
TOTAL 625.663,95
=========

Art. 2º Os recursos a serem utilizados, para atendimento ao que determina o artigo anterior, serão anulados das dotações orçamentárias discriminadas a seguir:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
2000 - SECRETARIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS
2001 - Secretaria de Serviços Públicos - Administração Direta
2001.04.122.2.160.2.191 - Coordenação e Supervisão das Políticas de Serviços Públicos
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 173.000,00

3700 - SECRETARIA DE HABITAÇÃO
3701 - Secretaria de Habitação - Administração Direta
3701.16.482.1.219.2.287 - Melhoria das Condições de Habitabilidade
4.4.90.51-FT 0100 - Obras e Instalações 452.663,95
TOTAL 625.663,95
=========

Art. 3º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Recife, 01 de Dezembro de 2010

Milton Coelho da Silva Neto
Prefeito em exercício

Ângela Maria Távora Weber
Assessora Executiva da Secretaria de Finanças

Evelyne Labanca Corrêa de Araújo
Secretaria Especial de Gestão e Planejamento

Ricardo Pedrosa Soriano de Oliveira
Secretaria de Assuntos Jurídicos

DECRETO Nº 25.567 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2010.
EMENTA: Abre Crédito Suplementar
O PREFEITO DA CIDADE DO RECIFE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do artigo 54 da Lei Orgânica Municipal, de 04 de abril de 1990, e tendo em vista o que dispõem o artigo 9º, o artigo 11 e o inciso III do artigo 14 da Lei nº 17.587, de 14 de dezembro de 2009,
D E C R E T A:

Art. 1º Fica aberto ao Orçamento da EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA - EMPREL o crédito suplementar de R$ 611.514,00 (seiscentos e onze mil, quinhentos e quatorze reais), destinado ao reforço das seguintes dotações orçamentárias:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
4500 - SECRETARIA DE FINANÇAS - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
4501 - Empresa Municipal de Informática - EMPREL
4501.04.331.3.101.2.153 - Encargos com Benefícios aos Servidores
3.3.90.39-FT 0241 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 505.693,00
4501.04.122.2.161.2.723 - Apoio Administrativo às Ações da Unidade Orçamentária
3.3.90.37-FT 0241 - Locação de Mão-de-obra 105.821,00
TOTAL 611.514,00
=========

Art. 2º Os recursos a serem utilizados, para atendimento ao que determina o artigo anterior, serão anulados das dotações orçamentárias discriminadas a seguir:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
4500 - SECRETARIA DE FINANÇAS - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
4501 - Empresa Municipal de Informática - EMPREL
4501.04.126.2.123.1.541 - Expansão e Atualização do Ambiente de Tecnologia da Informação e Comunicação
3.3.90.39-FT 0241 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 80.000,00
4501.04.126.2.123.2.520 - Melhoria e Manutenção dos Sistemas de Tecnologia da Informação e Comunicação
da Prefeitura do Recife
3.3.90.39-FT 0241 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 529.821,00
4501.04.122.2.161.2.723 - Apoio Administrativo às Ações da Unidade Orçamentária
3.3.90.30-FT 0241 - Material de Consumo 1.693,00
TOTAL 611.514,00
=========

Art. 3º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Recife, 01 de Dezembro de 2010

Milton Coelho da Silva Neto
Prefeito em exercício

Ângela Maria Távora Weber
Assessora Executiva da Secretaria de Finanças

Evelyne Labanca Corrêa de Araújo
Secretaria Especial de Gestão e Planejamento

Ricardo Pedrosa Soriano de Oliveira
Secretaria de Assuntos Jurídicos

DECRETO Nº 25.568 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2010.
EMENTA: Abre Crédito Suplementar
O PREFEITO DA CIDADE DO RECIFE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do artigo 54 da Lei Orgânica Municipal, de 04 de abril de 1990, e tendo em vista o que dispõem o artigo 9º, o artigo 11 e o inciso III do artigo 14 da Lei nº 17.587, de 14 de dezembro de 2009,
D E C R E T A:

Art. 1º Fica aberto ao Orçamento da AUTARQUIA MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES o crédito suplementar de R$ 1.200.000,00 (um milhão, duzentos mil reais), destinado ao reforço da seguinte dotação orçamentária:

RECURSOS DE OUTRAS FONTES - EM R$
6100 - SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
6101 - Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores
6101.10.302.3.104.2.084 - Oferta de Serviços de Saúde aos Beneficiários do Saúde Recife (Servidores daAdm. Direta e Indireta Sem Vinculações)
3.3.90.39-FT 0250 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 1.200.000,00
TOTAL 1.200.000,00
==========

Art. 2º Os recursos a serem utilizados, para atendimento ao que determina o artigo anterior, são provenientes de receitas, não previstas na Lei Orçamentária em vigor, nos termos do art. 43, § 1º, Inciso II e § 3º, da Lei Nº 4.320, de 17 de março de 1964, de acordo com a classificação a seguir:

RECURSOS DE OUTRAS FONTES - EM R$
1000.00.00 - Receitas Correntes
1210.50.00-FT 0250 - Contribuição de Servidor para o Saúde Recife 1.200.000,00
TOTAL 1.200.000,00
==========
Art. 3º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Recife, 01 de Dezembro de 2010

Milton Coelho da Silva Neto
Prefeito em exercício

Ângela Maria Távora Weber
Assessora Executiva da Secretaria de Finanças

Evelyne Labanca Corrêa de Araújo
Secretaria Especial de Gestão e Planejamento

Ricardo Pedrosa Soriano de Oliveira
Secretaria de Assuntos Jurídicos

DECRETO Nº 25.569 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2010.
EMENTA: Abre Crédito Suplementar
O PREFEITO DA CIDADE DO RECIFE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do artigo 54 da Lei Orgânica Municipal, de 04 de abril de 1990, e tendo em vista o que dispõem o artigo 8º, o artigo 11 e o inciso III do artigo 14 da Lei nº 17.587, de 14 de dezembro de 2009,
D E C R E T A:

Art. 1º Ficam abertos, aos Orçamentos dos órgãos abaixo discriminados, os créditos suplementares no valor de R$ 82.500,00 (oitenta e dois mil, quinhentos reais), destinados ao reforço de dotações orçamentárias conforme discriminação a seguir:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
3200 - SECRETARIA DE CULTURA
3201 - Secretaria de Cultura - Administração Direta
3201.13.392.1.211.2.311 - Otimização e Democratização dos Equipamentos Culturais
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 17.000,00

3500 - SECRETARIA DE TURISMO
3501 - Secretaria de Turismo - Administração Direta
3501.23.695.1.213.2.193 - Promoção e Venda Turística do Destino Recife
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 16.500,00

6200 - SECRETARIA DE CULTURA - ADMINISTRAÇÃO SUPERVISIONADA
6201 - Fundação de Cultura Cidade do Recife - FCCR
6201.13.392.1.211.2.304 - Promoções de Ações Culturais
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 15.000,00

6800 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ
6801 - Fundo Municipal da Criança e do Adolescente - FMCA
6801.08.243.2.161.2.723 - Apoio Administrativo às Ações da Unidade Orçamentária
3.3.90.37-FT 0100 - Locação de Mão-de-obra 34.000,00
TOTAL 82.500,00
========

Art. 2º Os recursos a serem utilizados, para atendimento ao que determina o artigo anterior, serão anulados das dotações orçamentárias discriminadas a seguir:

RECURSOS DO TESOURO - EM R$
1000 - GOVERNADORIA MUNICIPAL
1001 - Governadoria Municipal - Administração Direta
1001.04.121.1.227.2.242 - Construção do Processo de Participação da Sociedade na Gestão Pública do Município
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 21.000,00
1001.14.422.2.160.2.250 - Apoio à Implantação e Implementação da Política da Juventude
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 18.000,00

3200 - SECRETARIA DE CULTURA
3201 - Secretaria de Cultura - Administração Direta
3201.13.392.1.211.2.311 - Otimização e Democratização dos Equipamentos Culturais
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 15.000,00

3300 - SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
3301 - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico - Administração Direta
3301.19.573.1.315.2.170 - Desenvolvimento de Instrumentos de Apoio à Inovação e à Difusão do Conhecimento Científico e Tecnológico
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 16.489,90
3301.11.334.1.320.2.992 - Qualificação Social Profissional e Difusão do Empreendedorismo para Geração de Trabalho e Renda
3.3.90.39-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 10,10

3600 - SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO
3601 - Secretaria de Comunicação - Administração Direta
3601.04.122.2.161.2.723 - Apoio Administrativo às Ações da Unidade Orçamentária
3.3.90.14-FT 0100 - Diárias-civil 10.000,00
3.3.90.36-FT 0100 - Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Física 2.000,00
TOTAL 82.500,00
========

Art. 3º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Recife, 01 de Dezembro de 2010

Milton Coelho da Silva Neto
Prefeito em exercício

Ângela Maria Távora Weber
Assessora Executiva da Secretaria de Finanças

Evelyne Labanca Corrêa de Araújo
Secretaria Especial de Gestão e Planejamento

Ricardo Pedrosa Soriano de Oliveira
Secretaria de Assuntos Jurídicos

Anexo

Leia mais!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Reunião da Vitória

C o n v i t e

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião ordinária.

Assuntos:
1 – deliberação da Prefeitura do Cabo pela não implantação de Usina de incineração de lixo;
2 – III Congresso Estadual e I Encontro do Nordeste dos Catadores de Materiais Recicláveis ( Arcoverde/PE ) e
3 – preparação da confraternização do Movimento.

Data: 06/12/2010 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE. (próxima a Igreja Católica do Barro)

Contatos:
Luci Machado - 3251.2628 / 8637.1747
José Semente - 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento – 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima – 3251.1265 / 8622.9518
Patrícia Maria – 9183.9762
Augusto Semente - 3469.0598 / 9258.7195

Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Leia mais!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

VITORIA: NÃO MAIS INCINERAÇÃO

O Movimento ECO-VIDA – Em Defesa do Cabo de Santo Agostinho e o Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchoa, receberam, em nota oficial, o posicionamento da prefeitura do Cabo de Santo Agostinho sobre a não instalação de uma Usina Incineradora de Lixo com sentimento de vitória.

Ambos os movimentos são compostos por entidades e pessoas reconhecidamente sérias e de tradição de lutas sociais e ambientais.

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa existe há mais de 30 anos lutando contra toda sorte de depredação de que foi alvo a mata. Diante da ameaça da instalação de uma usina para tratamento de lixo na APA Rousinete Falcão (APA do Uchoa) não poderia deixar de se indignar com as autoridades governamentais que, irresponsavelmente, assinaram as licenças prévias para a instalação da referida Usina, procurando com isso resolver o problema do lixo da cidade do Recife, que precisa de solução digna. O movimento têm consciência dessa necessidade, porem, é necessário que se busque alternativas conseqüentes e ecologicamente educativas.

A instalação desse empreendimento só prejudicaria o meio ambiente e,
consequentemente, toda a população do Recife e do Cabo de Santo Agostinho, cidade de 179.912 habitantes que receberia a unidade incineradora da Usina, que seria responsável pela contaminação da cidade, pois exalaria os mais perigosos gases: a dioxina e o furano, nefastos a vida de toda população, causadores dos maiores impactos ambientais.

Preocupadas com essa iminente ameaça, entidades dos mais variados segmentos sociais do Cabo de Santo Agostinho, criaram o Movimento ECO-VIDA, resposta ao silêncio que regia todo o andamento do processo de licenciamento do projeto, sobretudo no Cabo. Várias manifestações contrárias ao projeto foram encampadas, chegando-se a fazer um Ato Público no momento da inauguração do Hospital Dom Helder, com a presença do governador Eduardo Campos. Nesse Ato, com a interferência do governador, ficou garantida uma reunião na CPRH, realizada no dia 6 de julho do corrente com a presença de representates do Movimento Eco-Vida e de representantes do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa; na reunião com a CPRH deliberou-se a sistemática da Audiência Pública do dia 08 de julho do corrente no Clube das Águias e da realização de uma Audiência Pública no Cabo de Santo Agostinho.

Apesar de não ter havido audiências com o executivo municipal, a força do Movimento Eco-Vida e a mobilização do povo conseguiram o posicionamento oficial do prefeito do Cabo pela NÃO IMPLANTAÇÃO DA USINA DE INCINERAÇÃO.

O Movimento Eco-Vida e o Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa conseguiram derrotar o projeto da CTRD que seria implantado nas cidades do Cabo e do Recife. Por isso se consideram vitoriosos e com as energias renovadas para continuarem em vigilância permanente contra qualquer projeto que venha ameaçar o meio ambiente e a qualidade de vida da população.

Movimento Eco-vida
Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa

Leia mais
Clique em cima da foto


Leia mais!

sábado, 27 de novembro de 2010

Sítio Histórico de Olinda terá coleta seletiva de lixo

Noticias

27 de Novembro de 2010 - 8h46

Sítio Histórico de Olinda terá coleta seletiva de lixo

A Prefeitura de Olinda mostra que está cada vez mais engajada na luta pela melhoria da limpeza da cidade e preservação do meio ambiente. A Secretaria de Serviços Públicos de Olinda realiza no próximo dia 30 de novembro, às 19h, na Sociedade Beneficente de Artistas e Operários de Olinda, na Rua Bernardo Vieira de Melo, 127, Varadouro, uma reunião para apresentar aos moradores do Sítio Histórico o projeto de coleta seletiva que será implementado na área.

Com o objetivo de promover a preservação ambiental e a inclusão social, a PMO, em parceria com a Associação dos Recicladores de Olinda (Aro), iniciará até o final do ano a coleta seletiva na Cidade Alta. Durante a ação, a coleta será dividida entre lixo orgânico e inorgânico.

Todas as segundas e quintas-feiras, das 7h30 às 13h30, os moradores deverão acondicionar o lixo inorgânico (seco) e depositar na frente das casas. A coleta desse material será realizada por catadores cooperativados da Aro, devidamente fardados e identificados. Já o lixo orgânico (úmido) continuará sendo recolhido pela Prefeitura Municipal de Olinda nos dias e horários que já são de conhecimento dos moradores do Sítio Histórico.

A PMO espera contar com a colaboração de todos os moradores para o sucesso dessa ação e informa que para mais detalhes os interessados podem procurar a Diretoria de Limpeza da Secretaria de Serviços Públicos por meio do telefone 3429.0866. O morador também pode entrar em contato com Associação dos Recicladores de Olinda (Aro) pelo telefone 3449.5424.

Lixo inorgânico (seco)

- Inclui todo material que não possui origem biológica ou que foi produzida através de meios humanos, como plásticos, metais e ligas, vidros, etc.

Lixo orgânico (úmido)

- Inclui todo lixo de origem animal ou vegetal, ou seja, que recentemente fez parte de um ser vivo.


Fonte: Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Olinda

http://www.vermelho.org.br/pe/noticia.php?id_noticia=142455&id_secao=91

http://www.vermelho.org.br/pe/

Leia mais!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

CABO: PREFEITURA NÃO RENOVA ANUÊNCIA

O governo municipal do Cabo de Santo Agostinho não renovou a licença para construção de uma usina de cogeração de energia (INCINERAÇÃO DE LIXO). Usina essa que se viesse a se concretizar causaria danos irreparáveis à saúde do povo cabense e ás populações das cidades vizinhas.

Esse fato, se tratando de responsabilidade da estrutura jurídica da instituição maior de um nunicípio, nos motiva a concluir que 31 anos de luta do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa somando-se ao Movimento Eco-Vida sensibilizou o prefeito dessa cidade possuidora de praias que são referências no turismo nacional, quanto a PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

Seria justíssimo que essa situação da anuência se traduzisse numa decisão do gestor para sossego do povo do Cabo e das cidades circunvizinhas.

Viva a organização e a luta do povo.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 / 8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim! Lixo Não!



Leia mais!

domingo, 21 de novembro de 2010

APÓS 20 ANOS!

Segunda-feira, 2 de agosto de 2010 às 18:04

Política Nacional de Resíduos Sólidos une proteção ambiental à inclusão social

Ao sancionar nesta segunda-feira (2/8), em Brasília, a lei que cria a Política Nacional de Resíduos Sólidos no País, o presidente Lula elogiou o trabalho de seus ministros, dos parlamentares e dos catadores de material reciclável, que estão cada vez mais organizados e cientes de seu papel na sociedade, na aprovação da nova legislação, e pediu agilidade na sua regulamentação, porque ela já ficou mais de 20 anos tramitando no Congresso Nacional.

“Pra que diabos faz lei se não regulamenta? Agora é o seguinte, não podemos passar mais de 90 dias para regulamentar uma lei”, disse o presidente, que aproveitou para destacar a rapidez com que o substitutivo enviado ao Congresso Nacional em 2007 foi aprovado, graças à articulação do governo com os deputados e senadores, e à organização dos catadores de material reciclável e suas entidades.

Em setembro de 2007, quando encaminhei à Câmara dos Deputados o anteprojeto da Política Nacional de Resíduos Sólidos, pouca gente acreditava que ele iria ser aprovado. Isso porque um texto sobre o mesmo tema tramitava há 20 anos no Congresso, sem resultar em uma Lei. Três anos depois, é com muito orgulho que participo desta cerimônia em que, finalmente, sancionamos a criação de uma política nacional para esta área. E que simboliza a vitória das entidades que atuam nas mais variadas etapas das cadeias produtivas, na prestação de serviços e na sociedade civil.

Ouça aqui a íntegra do discurso:


Baixar arquivo mp3
Para ler a transcrição, clique aqui.

Além de considerar a nova lei nacional uma “revolução em termos ambientais”, Lula disse que seu grande mérito é promover a inclusão social dos trabalhadores “que durante muitos anos foram esquecidos pelo poder público, contribuindo para reduzir desigualdades sociais e preservando o meio ambiente. Citou os casos de Severino Lima Júnior e Maria Madalena, que conheceu na primeira Expocatador, em 2009, em São Paulo. Os dois se profissionalizaram na atividade e reconquistaram o respeito próprio e a dignidade, observou o presidente. Severino representou os catadores no evento e fez o primeiro discurso: “[Essa lei] é uma moça que precisa ser muito bem tratada.” Ele fez um pedido: que a categoria não seja mais conhecida como ‘catadores de lixo’, mas sim de ‘material de reciclável’. Veja o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=GN6L8shBjCg


Política Nacional de Resíduos Sólidos apresenta inovações como a logística reversa, que determina que fabricantes, importadores, distribuidores e vendedores realizem o recolhimento de embalagens usadas. Foram incluídos nesse sistema produtos como agrotóxicos, pilhas, baterias, pneus, óleos lubrificantes, todos os tipos de lâmpadas e eletroeletrônicos.

O texto prevê a introdução da responsabilidade compartilhada na legislação brasileira, envolvendo sociedade, empresas, prefeituras e governos estaduais e federal na gestão dos resíduos sólidos. Estabelece, ainda, que as pessoas terão de acondicionar de forma adequada o lixo para o recolhimento do mesmo, fazendo a separação onde houver a coleta seletiva. A indústria de reciclagem e os catadores de material reciclável devem receber incentivos da União e dos governos estaduais.

Os municípios brasileiros só receberão dinheiro do governo federal para projetos de limpeza pública e manejo de resíduos sólidos depois de aprovarem planos de gestão. Terão prioridade no financiamento federal os consórcios intermunicipais para gestão do lixo.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos proíbe a criação de “lixões”, onde os resíduos são lançados a céu aberto. Todas as prefeituras deverão construir aterros sanitários adequados ambientalmente, onde só poderão ser depositados os resíduos sem qualquer possibilidade de reaproveitamento ou compostagem. Será proibido catar lixo, morar ou criar animais em aterros sanitários. O PL também veta a importação de qualquer tipo de lixo.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, por meio dos incentivos e novas exigências, o país tentará resolver o problema da produção de lixo das cidades, que chega a 150 mil toneladas por dia. Deste total, 59% são destinados aos “lixões” e apenas 13% têm destinação correta em aterros sanitários.

Artigos relacionados
•O presidente Lula sanciona Política Nacional de Resíduos Sólidos no Brasil•Íntegra do discurso do presidente Lula sobre Política Nacional de Resíduos Sólidos•Entrevista para o Censo, resíduos sólidos e Cúpula do Mercosul


Clique no link abaixo
http://blog.planalto.gov.br/politica-nacional-de-residuos-solidos-une-protecao-ambiental-e-inclusao-social/

Íntegra do discurso do presidente Lula sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos
http://blog.planalto.gov.br/integra-do-discurso-do-presidente-lula-sobre-politica-nacional-de-residuos-solidos/



Leia mais!

Política Nacional de Resíduos Sólidos

LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010.

Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Clique no link abaixo

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm
Leia mais!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Seminário Internacional - Mudanças Climáticas





Apresentação

Publicado em 21.10.2010
Programação do Seminário

Publicado em 21.10.2010
Objetivos

Publicado em 21.10.2010
Metodologia

Publicado em 21.10.2010
Veja o cartaz ampliado

Publicado em 18.10.2010

Apresentação

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS PREPARATÓRIO À CONFERÊNCIA MUNDIAL DA ONU - Brasília, 11 e 12 de novembro 2010

As mudanças climáticas colocaram na ordem do dia a discussão sobre o futuro da humanidade, trazendo à tona a crise ambiental que o mundo enfrenta. Em decorrência disto o tema ganha, cada vez mais, importância no cenário nacional e internacional. Tanto assim que a Conferência de Copenhague das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas se realizou com a presença de 119 chefes de estado e 192
países.

As contradições entre os países capitalistas desenvolvidos e os países emergentes, no tratamento das mudanças climáticas, ficaram evidentes na referida Conferência. A questão chave do conflito residiu na
definição das metas de redução das emissões de gases de efeito estufa pelos países desenvolvidos entre 2013, com o término do período de vigência do Protocolo de Kyoto, e 2020.

Para dar continuidade a este debate, visando elaborar uma resolução para o pós-Kyoto, será realizado entre 29 de novembro e 10 de dezembro a Conferência Mundial da ONU sobre as Mudanças Climáticas, em Cancun, no México.

O Seminário Internacional sobre as Mudanças Climáticas visa aprofundar o debate sobre o tema e preparar representantes de fundações e entidades sociais para a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 16).

Esta iniciativa terá um caráter suprapartidário e contará com o patrocínio de órgãos públicos visando sua realização.

Clique no link abaixo!
http://grabois.org.br/portal/revista.php?id_sessao=9&id_publicacao=414
Leia mais!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Reunião Ordinária

C o n v i t e

O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião ordinária.

Assunto: Audiência Pública e Plebiscito no Cabo de Santo Agostinho.

Data: 01/11/2010 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE. (próxima a Igreja Católica do Barro)

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 / 8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

UM PROJETO PELA VIDA NO PLANETA

ESCOLA PRES. HUMBERTO CASTELLO BRANCO
Recife, 19 de outubro de 2010.




Em 23 de outubro próximo, das 07h30 às 14h00, realizar-se-á o 10º Movimento Ecológico organizado por esta Unidade de Ensino, perfazendo um contingente aproximado de 800 (oitocentos) participantes, entre eles estudantes do Ensino Fundamental e Médio. Como atividades programadas para o evento haverá a Caminhada Ecológica, em prol do Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchôa, pela vias de bairros circunvizinhos e uma Gincana Ecológica, motivos pelos quais estamos convidando para prestigiar o referido evento.

Em anexo, apresentamos o histórico sobre o Projeto “Movimento Ecológico” da Escola Presidente Humberto Castello Branco.

Na certeza de sua presença, a qual contribuirá para o sucesso desta atividade educativa, antecipamos nossos agradecimentos.



José Hildemarcos Silva - Gestor



10º ANO DO MOVIMENTO ECOLÓGICO

UM PROJETO PELA VIDA NO PLANETA


BREVE HISTÓRICO

O projeto multidisciplinar intitulado Movimento Ecológico foi idealizado para esta Escola, em 2001, pelo Professor Jorge Silva (à época, titular da disciplina de Geografia) com a intenção de integrar toda a Comunidade Escolar na discussão de questões ambientais, levando os ecos desta discussão às ruas para envolver os habitantes do bairro da Escola e circunvizinhos na automação de competência para preservar todos os elementos constituintes do ecossistema. No mesmo ano, o Movimento Ecológico foi planejado, custeado e acompanhado pela Equipe Gestora, e executado pela Comunidade Escolar por entendermos que educar para a preservação do meio-ambiente é urgentíssimo. A partir do seu segundo ano, a organização do evento continuou sob responsabilidade da Equipe Gestora que desde então angaria patrocínios para a sua realização, bem como envida esforços para conquistar adesão absoluta das escolas localizadas no Núcleo Tejipió como coadjuvantes no Movimento Ecológico que se tornou um projeto pedagógico permanente no calendário de atividades da Escola Presidente Humberto Castello Branco.

Em 2008 conquistamos uma adesão simbólica de escolas locais para a nossa Caminhada Ecológica. Em 2009, após convocação e sucessivas reuniões, contamos com a participação das Escolas Alberto Torres, Senador Paulo Pessoa Guerra, Marcelino Champagnat, Trajano de Mendonça e do Centro de Estudos Supletivos Poeta Joaquim Cardoso. Foram seis instituições, incluindo a nossa, cada uma desenvolvendo um elemento da natureza compondo, portanto, as seis equipes ecológicas integrantes do IX Movimento Ecológico da Escola Presidente Humberto Castello Branco.

Este Projeto é, literalmente, um movimento ecológico porque dinamiza a Comunidade Escolar num grande feito em favor do meio-ambiente, priorizando a formação de cidadãos responsáveis pela preservação do ecossistema. Inicialmente, o Projeto preocupou-se com os elementos da natureza – bens comuns e essenciais à sociedade, convocando a Comunidade para o estudo de conceitos, valores e funções ecológicas de seis elementos: água, ar, animal, vegetal, sol e lixo. Dominada a preocupação inicial, estendeu-se o Projeto à discussão sócio-político-pedagógica junto ao Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchôa. E, atualmente, apresenta-se o Projeto como instrumento de contribuição para a permanente reflexão ecológica.

Organiza-se o Movimento Ecológico, distribuindo seus participantes em seis equipes. Cada equipe representa um elemento da natureza identificado por uma cor, a saber: água – azul; ar – branco; sol – amarelo; mata – verde; animal – vermelho; lixo – preto. As equipes desenvolvem estudos na área das Ciências sobre os elementos ecológicos e produzem trabalhos, empregando as linguagens e seus códigos, resultantes de habilidades artísticas nas formas de literatura, música, artes plásticas, artes cênicas, matemática. A partir daí, as equipes vivenciam três momentos distintos para o desfecho do evento: Caminhada Ecológica; Visita à Mata do Engenho Uchôa e Gincana Ecológica. Porém, integrados no seu fundamento principal; podendo, a cada ano/edição, sofrer algumas adequações para aperfeiçoar aspectos científicos, pedagógicos, artístico-culturais, políticos e/ou sociais. O projeto não exige rigidez quanto à ordem dos momentos, eles podem-se alternar.

A Caminhada Ecológica consiste na apresentação das seis equipes caracterizadas conforme seus respectivos elementos da natureza, munidas de faixas, alegorias e adereços temáticos, caminhando pelo bairro da Escola e circunvizinhos, escoltados pela guarda municipal de trânsito. As equipes são acompanhadas por banda marcial, grupo de maracatu, som móvel propagando o compromisso de cada cidadão com o meio-ambiente, e orientadas para a captação de detalhes que revelem alterações naturais no ambiente e aquelas causadas pelo homem.

A visita a Mata Uchôa acontece, preferencialmente, em data anterior à Caminhada e à Gincana Ecológica, por uma comissão de estudantes representantes das seis equipes integrantes do Movimento Ecológico acompanhada de professores-orientadores de cada equipe, dirigentes e coordenadoras pedagógicas, escoltados pela Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (CIPOMA) – a visitação da Mata é orientada para apurar observações dos efeitos naturais e das interferências do homem naquele ambiente, registrando-se por escrito e por imagens para comparar, metodicamente, às visitas anteriores, reconhecer e/ou elaborar proposta de revitalização da área despertando interesse por amplas questões ecológicas.

E a Gincana Ecológica encerra o evento com as seis equipes cumprindo tarefas temáticas pré-fixadas e surpresas relacionadas aos seus respectivos elementos da natureza numa amostra da prática desenvolvida nas discussões em prol da preservação ambiental, balanceando um modo razoavelmente lúdico com a responsabilidade da reflexão sobre as questões ambientais permeadas no cumprimento de cada tarefa.

A respeito da luta conjunta com o Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchôa destacamos que, em 2001, alcançamos a Mata Uchôa, reserva ecológica de fauna e flora nativas auferida como Patrimônio da Humanidade, cortada pela rodovia BR 101 e limítrofe do Barro, bairro da cidade do Recife cujos moradores já reivindicavam um Parque Natural no entorno da Mata ao invés da sua exploração pelo mercado imobiliário. Inserida no Movimento Ecológico, a Comunidade Escolar aliou-se à Comunidade geográfica envolvida no Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchôa. Desde 2008, estamos mobilizados juntamente com a sociedade civil, organizações governamentais e não-governamentais contra a instalação, na Mata Uchôa, de uma Central de Tratamento e Destinação de Resíduos (CTDR), popularmente chamada de usina de beneficiamento do lixo, baseados em estudos acerca da funcionalidade e dos impactos ambientais causados por ela.

Aos 30 de julho de 2009 participamos do Ato Público pelo Parque Natural, com concentração em frente da igreja católica do Barro, caminhada pela rodovia BR 101 ao acesso da Mata do Engenho Uchôa e retorno ao ponto inicial. Em 25 de novembro do mesmo ano, assistimos à palestra “Usina de geração de energia, reciclagem e compostagem”, na Escola Marcelino Champagnat, proferida pelo Professor José Mariano, da Universidade Federal de Pernambuco, e pelo Engenheiro Rodolfo Aureliano, promovida pelo Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchôa.

Em 2010 estamos comemorando dez anos de sustentação de UM PROJETO PELA VIDA NO PLANETA. O Movimento Ecológico foi iniciado com pretensões modestas. Em uníssono com a Comunidade Escolar, desenvolvemo-nos, avançamos, conquistamos a confiança de comunidades circunvizinhas, mudamos condutas.

É hoje um marco no cenário das questões ambientais. No primeiro semestre deste ano, comparecemos a duas plenárias para eleger as ações prioritárias do Orçamento Participativo da Cidade, ocorridas em localidades do raio de alcance da Comunidade Castello Branco: uma, em 25 de maio, no Campo do Floresta, no Barro, e a outra, dois dias após, na Praça Professor Rutilho, em Coqueiral. Nestas plenárias, contribuímos para a aprovação do Parque Natural na área da Mata do Engenho Uchôa. Ainda no âmbito do Orçamento Participativo, em 07 de junho, comparecemos à igreja católica do Barro para eleger as ações prioritárias através da urna eletrônica e, entre os dias 10 e 30 de setembro, pela Internet. Continuamos no segundo semestre com as nossas contribuições ao Movimento em defesa da Mata Uchôa, participando, mesmo em período de recesso letivo, portanto atípico para mobilização da nossa comunidade escolar, aos 08 de julho, de mais uma Audiência Pública, no Clube das Águias, em Boa Viagem, para discutir o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) do Projeto Central de Tratamento e Destinação de Resíduos (CTDR) promovido pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

Não chegamos ao final da luta. Estamos caminhando e investindo na parceria com a sociedade civil organizada. Prosseguiremos com o nosso compromisso educacional pela busca de alternativas ambientais em dimensões coletivas que proporcionem melhor qualidade de vida para o presente e, principalmente, para gerações futuras, com a responsabilidade de cuidar do Planeta, garantindo a existência de áreas detentoras de ecossistemas associados de matas, mangues e restingas, reservas da biosfera, refúgios da vida silvestre e áreas de preservação permanente.

PARABÉNS, COMUNIDADE CASTELLO BRANCO! VIVA O PLANETA!

Recife, 18 de outubro de 2010.

Escola Presidente Humberto Castello Branco
Av. Dr. José Rufino, 2993 – Tejipió – Recife/PE – Cep 50930-000
(081) 32529941 / 31812956 / 34555629

Leia mais!

domingo, 17 de outubro de 2010

X Movimento Ecológico Escola Presidente Humberto Castello Branco

R E U N I Ã O

Data: 18.10.2010 (segunda-feira)
Hora: 9h
Local: Escola Presidente Humberto Castello Branco
Av. Dr. José Rufino 2.993 – Tejipió – Recife/PE
Tel. (81) 3252.9941 / 3181.2956


X Movimento Ecológico Escola Presidente Humberto Castello Branco

Dia: 23.10.2010 (sábado)
Hora: concentração 7:30h
Local: Escola Presidente Humberto Castello Branco
Leia mais!

sábado, 2 de outubro de 2010

A Luta Continua!

C o n v i t e
O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa convida para participar da reunião ordinária.

Assunto: Audiência Pública e Plebiscito no Cabo de Santo Agostinho.

Data: 04/10/2010 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Escola Vila Sésamo, R Amador Araujo, 230 – Barro – Recife/PE. (próxima a Igreja Católica do Barro)

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 / 8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195


Mata Atlântica Sim! Lixo Não!

Clique abaixo para acessar a Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes - POPs.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5472.htm

Clique abaixo para baixar o RIMA
http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/RIMA_CTDR.pdf

Clique abaixo para acessar o site do CPRH
http://www.cprh.pe.gov.br

Clique abaixo para acessar palestra – Dr. Paul Connett; INCINERAÇÃO DO LIXO MUNICIPAL – UMA SOLUÇÃO POBRE PARA O SÉCULO 21
http://www.cnpsa.embrapa.br/down.php?tipo=publicacoes&cod_publicacao=756

Leia mais!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Garanta a implantação do Parque Natural Ecológico- Engenho Uchoa

Noticias
14 de Setembro de 2010 - 9h15


Luciano (d), secretário Roberto Arrais e Augusto Semente (e) durante visita à Mata do Engenho Uchôa

Compartilhe

Garanta a implantação do Parque Natural Ecológico- Engenho Uchoa

De 10 a 30 de setembro de 2010 estará sendo realizada a votação pela internet. Garantir a implantação do Parque Natural Rousinete Falcão (Mata Engenho Uchoa/Mata Atlântica) é de fundamental importância, pois o Recife possui diminutas áreas verdes.

OP Online - Para participar, o usuário deve acessar o site www.recife.pe.gov.br/op e clicar no ícone indicativo de votação. Ajude na preservação, vote.

A Ação de nº 29 – Implantação do Parque Natural Ecológico – Engenho Uchoa/Barro após a realização das plenárias: do Barro – Campo do Floresta (25/05/2010) e a de Coqueiral – Praça Professor Rutilho (27/05/2010) ficou entre as 10, na 7ª posição, após realização da votação na Urna Eletrônica (7 e 8 de junho 2010) a Ação de nº 29 avançou para a 4ª posição. Na plenária Temática Meio Ambiente realizada no Terminal Marítimo, Recife Antigo (29/07/2010) elegemos como delgados pelo Movimento os Srs. Arlindo Lima e Enoque Amâncio.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 / 8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Parque Sim! Usina de Lixo Não!

http://www.vermelho.org.br/pe/noticia.php?id_noticia=136923&id_secao=91

Leia mais!

domingo, 12 de setembro de 2010

COMAM ELEGE NOVOS CONSELHEIROS

Secretaria de Meio Ambiente

COMAM ELEGE NOVOS CONSELHEIROS

17:00 Terça-feira, 31 de Agosto de 2010


A data de posse dos conselheiros e a nomeação ainda será marcada, mas todo o processo será concluído até o final de setembro

Por Jamille Coelho

FOTOS: Ivanildo Franscisco













Comam elegeu, nesta terça-feira (31), novos conselheiros













Eleição aconteceu na Igreja Matriz de Casa Forte

O Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) elegeu, nesta terça-feira (31), seus novos integrantes para o biênio 2010/2012. Ao todo, serão 20 representantes da sociedade civil e da administração municipal que ficarão responsáveis por deliberar, fiscalizar e discutir a criação de políticas públicas voltadas à preservação e conscientização ambiental. A eleição aconteceu das 8h30 às 14h, no salão paroquial da Igreja Matriz de Casa Forte.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente da Prefeitura do Recife, Roberto Arrais, dos 20 representantes, dez foram escolhidos por votação (Confira abaixo o nome das entidades eleitas). Os demais membros serão indicados pela Prefeitura do Recife. O pleito contou com 16 representantes de quatro segmentos, sendo eles: Universidades e Conselho de Fiscalização Profissional; Organizações Não-Governamentais (ONGs); setor empresarial; e entidades gerais do movimento popular. Cada entidade fez o credenciamento de seus delegados e cada um deles votou para eleger os representantes.

“É fundamental o processo democrático porque há uma participação da sociedade e do governo no sentido de dialogar e discutir os problemas ambientais. Além disso, é papel do Comam fiscalizar e propor ações, atividades e projetos voltados para beneficiar o meio ambiente”, explicou o secretário Roberto Arrais. A data de posse dos conselheiros e a nomeação ainda será marcada, mas todo o processo, segundo o secretário, será concluído até o final de setembro.

Para a presidente da Federação Estadual e Metropolitana dos Bairros de Pernambuco (Femepe), Adeílza de Souza, o Conselho é muito importante porque, a cada dia, as pessoas devem se preocupar ainda mais com as condições ambientais. “Já somos membros do Comam e atuamos, entre tantas coisas, na conscientização e sensibilização da sociedade. Se não nos preocuparmos com isso, não conseguiremos viver bem no futuro”, declarou.

Segundo a professora do curso de Geografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Aldemir Dantas, o Comam é muito importante para a Universidade porque as instituições de ensino federal e federal rural estão presentes nas temáticas discutidas com a entidade municipal. “É necessária uma conscientização mais abrangente, o que é muito visto no meio acadêmico. A Universidade, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Comam, desenvolve muito bem este trabalho”, disse a professora.

Confira a relação das entidades:

ONGs ambientalistas
01. Associação Pernambucana de Engenheiros Florestais (Apeef)
02. Fase
03. SOS 4 patas
04. Universidade Livre do Meio Ambiente do Nordeste (Unieco)

Movimento Popular
05. Uiala Mukaji - Sociedade de Mulheres Negras
06. FIJ

Universidades
07. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
08. Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFPE)

Setor empresarial
09. DSHT
10. Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE)

http://www.recife.pe.gov.br/2010/08/31/comam_elege_novos_conselheiros_173364.php

Leia mais!

OP votação na Internet Garanta a Implantação do Parque Natural Ecológico – Engenho Uchoa/Barro

De 10 a 30 de setembro de 2010 estará sendo realizada a votação pela internet é de fundamental importância garantir a implantação do Parque Natural Rousinete Falcão (Mata Engenho Uchoa/Mata Atlântica), pois o Recife possui diminutas áreas verdes.

OP Online - Para participar, o usuário deve acessar o site www.recife.pe.gov.br/op e clicar no ícone indicativo de votação.

A Ação de nº 29 – Implantação do Parque Natural Ecológico – Engenho Uchoa/Barro após a realização das plenárias: do Barro – Campo do Floresta (25/05/2010) e a de Coqueiral – Praça Professor Rutilho (27/05/2010) ficou entre as 10, na 7ª posição, após realização da votação na Urna Eletrônica (7 e 8 de junho 2010) a Ação de nº 29 avançou para a 4ª posição. Na plenária Temática Meio Ambiente realizada no Terminal Marítimo, Recife Antigo (29/07/2010) elegemos como delgados pelo Movimento os Srs. Arlindo Lima e Enoque Amâncio.

Contatos:
Luci Machado 3251.2628 / 8637.1747
José Semente 3455.1721 / 3076.1664
Jacilda Nascimento 3251.3830 / 9965.0916
Arlindo Lima 3251.1265 / 8622.9518
Patricia Maria 9183.9762
Augusto Semente 3469.0598 / 9258.7195

Parque Sim! Usina de Lixo Não!

Últimas Publicações
10/09/2010
17:06 - Telecentros facilitam votação do OP pela Internet


16:11 - João da Costa lança votação do Ciclo do OP pela internet



Terceira etapa de votação do Ciclo do OP
Foto: Fernando Silva

Os recifenses que ainda não participaram do OP 2010 terão mais uma oportunidade para escolher obras e temas prioritários da gestão

Por Kellen Lima

O prefeito do Recife, João da Costa, lançou, na manhã desta sexta-feira (10), a terceira etapa de votação do Ciclo do Orçamento Participativo (OP) 2010, em que a população terá a oportunidade de votar pela internet. O ato aconteceu no Telecentro Dom João Costa, situado na Escola Municipal Santa Maria, no Alto José do Pinho. Este é o quarto ano em que o ciclo de votação do OP é integrado à internet, quando poderão participar os recifenses que não votaram durante as plenárias.

A população poderá escolher entre uma das 180 ações ou obras eleitas nas plenárias regionais, bem como, em um dos temas definidos nas temáticas. “Todos os anos, na maioria dos bairros, fazemos reuniões e perguntamos quais são as obras prioritárias para as comunidades. Mas, há pessoas que não podem comparecer às plenárias. A dona de casa não pode se ausentar, ou o horário é o mesmo de outro compromisso. Então, a internet é uma segunda opção para quem não votou, assim damos continuidade ao processo participativo, que vai se ampliando”, explicou o prefeito.

Ainda de acordo com o gestor municipal, a Prefeitura do Recife está se modernizando cada vez mais e segue na direção da inclusão digital, estreitando a comunicação entre a sociedade e o poder público. “A internet é um instrumento indispensável na comunicação e vamos utilizá-la cada vez mais. Por isso, a importância da inclusão digital com telecentros, ônibus informatizados e escolas com salas equipadas. A população vai utilizar a internet para aumentar as relações sociais, assim como o OP, que aproxima pessoas, desperta o sentimento de solidariedade e desenvolve a percepção dos direitos das comunidades”, enfatizou João da Costa.

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, José Bertotti, os telecentros mostram-se peças relevantes ao ingresso às políticas públicas, a exemplo da votação do OP. “Eles oferecem acesso gratuito à internet, de maneira orientada e consciente, abrindo um canal de conscientização e politização. Dessa forma, o Recife não só se prepara para o futuro, ele vive o futuro”, disse Bertotti. Mas, para que os meios utilizados tenham valia, o coordenador do OP, Augusto Miranda, reforça que se faz necessária a participação popular, discutindo e elegendo prioridades, como parte primordial do processo. “Temos diversos espaços abertos à população, para que votem e escolham suas prioridades. É muito importante a participação da comunidade porque ela pode opinar sobre os destinos da cidade”, enfatizou.

Após ativar o sistema do OP online, o prefeito João da Costa acompanhou a primeira votação via internet, realizada por José Eudes Duarte Júnior, 19 anos, instrutor do Telecentro Dom João Costa e morador da comunidade. “Para mim, foi gratificante e muito recompensador ser o primeiro a votar no Orçamento Participativo na internet. É uma forma de reconhecimento, já que eu monitoro as pessoas que utilizam o telecentro e vivo nesta comunidade”, disse Júnior, acrescentando que estimulará os usuários do telecentro a participarem da votação até o dia 30 de setembro, quando encerra o OP online.

No lançamento da iniciativa, também estavam presentes os secretários Evelyne Labanca (Gestão e Planejamento), Eduardo Granja (Especial de Juventude), Amparo Araújo (Direitos Humanos), assim como, a assessora executiva de Desenvolvimento Econômico, Anita Dubeux, e o Presidente da EMPREL, Wellington Batista.

OP Online - Para participar, o usuário deve acessar o site www.recife.pe.gov.br/op e clicar no ícone indicativo de votação. O internauta poderá escolher a ação desejada, independente de fazer parte da comunidade na qual reside. O cidadão poderá optar por apenas um tema e uma política pública. Se não tiver interesse, será possível encerrar a votação na primeira página, ou seja, apenas na obra do bairro.

Como funciona - Na primeira página do processo, deve-se digitar os dados obrigatórios: Nome, RG, CPF, endereço completo (incluindo CEP). Os itens sexo; e-mail e telefone são opcionais. Aceito o cadastro, o usuário segue para a página da primeira votação, onde optará por uma das 180 obras prioritárias escolhidas, durante as plenárias regionais realizadas em todas as RPAs.

Para saber quais são as ações, o usuário vai clicar em uma das 18 microrregiões do Recife, onde serão exibidas as dez obras escolhidas naquela localidade. Depois de votar, será a vez de escolher a política pública e os programas prioritários de governo para os 14 temas trabalhados no Ciclo deste ano: Mulher, Negros e Negras, LGBT, Cultura, Turismo, Desenvolvimento Econômico, Assistência Social, Educação e Direitos Humanos, Pessoa Idosa, Saúde, Juventude, Pessoa com Deficiência e Meio Ambiente. O processo de votação do OP pela internet segue até o dia 30, vinte dias após o ato.


Balanço - Em 2007, o primeiro ano da inclusão da internet no OP Recife, 6.987 pessoas participaram. No segundo ano, 2008, o número de participantes quadruplicou, com a votação de 22.856 internautas. Já em 2009, foram registradas as participações de 41.846 internautas. Atualmente, a votação do OP é composta de três etapas: as plenárias regionais e temáticas, urnas eletrônicas e internet. Ao final da votação, as obras e ações eleitas vão para avaliação dos fóruns de delegados e delegadas do OP para analisar a viabilidade técnica e financeira e de prioridade.


http://publica.recife.pe.gov.br/pr/secfinancas/emprel/publica/index.php?GrupoCodigo=60&UltEdi=203&GrupoCodigoMateria=60#UltEdi

Últimas Publicações 10/09/2010
17:06 - Telecentros facilitam votação do OP pela Internet


A população pode acessar gratuitamente a rede mundial de computadores

Por Kellen Lima

Quem não possui computador ou acesso à internet poderá utilizar um dos nove telecentros em funcionamento na capital pernambucana para participar do OP online. A Prefeitura do Recife, em parceria com o Governo Federal, mantém espaços públicos onde a população pode utilizar equipamentos de informática e navegar na web, com o auxílio de instrutores. Para fazer parte desta etapa do Orçamento Participativo, os interessados devem entrar no site www.recife.pe.gov.br/op, e escolher uma ação e um tema importantes para a comunidade, até o dia 30 de setembro, quando encerra a votação.

Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, José Bertotti, os Telecentros permitem o uso das tecnologias envolvendo o processo educativo, de interação interpessoal e politização. “Oferecer internet de maneira gratuita e orientada, especialmente nas áreas carentes, é desenvolver um trabalho social. Significa capacitar os usuários, possibilitar o acesso à informação, e ampliar as chances dessas pessoas para entrar no mercado de trabalho”, afirmou.

Até dezembro deste ano, a cidade ganhará mais nove telecentros, elevando o número de unidades para 18 em pleno funcionamento. A Prefeitura do Recife foi contemplada no Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades (Telecentros.BR), e, com isso, implantará os novos equipamentos. Já as unidades existentes vão receber máquinas recondicionadas.

Atualmente, os telecentros funcionam nos bairros de Santo Amaro, Boa Vista, Dois Unidos, Alto José do Pinho, Casa Amarela, Cordeiro, Boa Viagem, Ibura - UR1 e Brasília Teimosa. O projeto aprovado contempla os bairros da Torre, Guabiraba, Torrões, Iputinga, Ilha do Retiro, Várzea, Mustardinha, Totó e Ibura - UR10. Hoje, mensalmente 600 pessoas utilizam esses espaços. A expectativa é que este número dobre, beneficiando 1.200 cidadãos.

Cada nova unidade será equipada com dez computadores configurados com sistemas operacionais e aplicativos (softwares) livres e de código aberto, 21 cadeiras multiuso, uma mesa do professor, um armário, 11 mesas para computador, um projetor multimídia, um roteador wireless, uma impressora, 11 estabilizadores, uma câmera de segurança e um servidor configurado com sistema operacional e aplicativos livres de código aberto e sistemas e programas informatizados de gestão do telecentro. Nas unidades hoje em funcionamento, o conjunto é composto por cinco ou dez máquinas e um servidor recondicionados.

Todos os computadores são equipados com dispositivos para a rede lógica padrão Ethernet e configurados com sistemas operacionais e aplicativos livres e de código aberto. Além dos telecentros, a Prefeitura do Recife promove outras ações voltadas para a democratização da tecnologia, a exemplo da Semana Municipal de Ciência e Tecnologia (SMCT). Instituída em setembro de 2006 pela Lei Municipal nº 17.253, neste ano, a SMCT acontece de 13 a 16 de outubro, com o tema “Recife na trilha do desenvolvimento sustentável”.

Serviço:

TELECENTROS EM FUNCIONAMENTO

1 – Associação Pernambucana de Cegos – APEC
R. Cons. Silveira de Souza, 85 – Cordeiro

2 – Espaço Ciência
Complexo de Salgadinho

3 – Conselho de Moradores Sítio e Alto do Rosário – COMSAR
Rua Eng. Célio de Carli, 40 – Dois Unidos

4 – Associação Humanitária Beneficente do Recife
Rua Barão de Souza Leão, 1647 – Boa Viagem

5 – Comunidade Bíblica da Graça
Rua do Campo do Nacional, 518 – UR1 / Ibura

6 – Associação dos Pescadores Profissionais e Artesanais de Brasília Teimosa
R. Delfim, 01 – Galpão 001 – Brasília Teimosa

7 – Centro Social Dom João Costa
Rua Acaiaca, 70 – Alto José do Pinho

8 – Casa Brasil
Av. Norte, 5.600 - Casa Amarela

9 – Procon-Recife
Av. Conde da Boa Vista, 918 – Boa Vista


NOVOS TELECENTROS ATÉ DEZEMBRO DE 2010

1 – Associação Grupo de Mães da Amizade dos Torrões – AGMAT

2 – Associação dos Moradores da UR-10 (Ibura)

3 – Centro de Ensino Popular e Assistência Social do Recife Paula Frassinetti – CEPAS (Vila Santa Luzia – Torre)

4 – Lar Fabiano de Cristo (Várzea)

5 – Núcleo de Moradores do Bairro da Iputinga e Adjacências

6 – Centro de Atendimento Lar do Bem Te Vi (Guabiraba)
7 – União dos Amigos da Mustardinha e Áreas Adjacentes – UAMA

8 – Caranguejo Tabaiares

9 – Centro Público do Totó

http://publica.recife.pe.gov.br/pr/secfinancas/emprel/publica/index.php?GrupoCodigo=60&UltEdi=204&GrupoCodigoMateria=60#UltEdi

Leia mais!

domingo, 5 de setembro de 2010

reaproveitamento

Latinha de alumínio permanece como o material mais reciclado no país, mostra IBGE

POSTADO ÀS 14:44 EM 02 DE SETEMBRO DE 2010

RIO DE JANEIRO – O alumínio continua como a matéria-prima mais reciclada no Brasil. A pesquisa Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada dia 1°, constatou que 91,5% das latinhas de alumínios são recolhidas para reciclagem. Bem atrás, estão as embalagens PET (54,8%), o vidro (47%), as latas de aço (46,5%) e o papel (43,7%). A reciclagem das embalagens de leite longa vida e de sucos estão em último lugar (26,6%). Esse tipo de material começou a ser reciclado nos últimos dez anos e está em processo de crescimento.

A reciclagem do alumínio, que no Brasil é uma das maiores do mundo, acima dos Estados Unidos (54,2%) e Japão (87,3%), caiu em 2008 em relação a 2007, quando o índice atingiu o pico de 96,5%. Apesar da diminuição, o percentual ainda é alto e reflete o valor de mercado da sucata de alumínio, uma das mais bem pagas pelo mercado.

De acordo com a Associação Brasileira do Alumiínio (Abal) 1 tonelada de latinhas (1 quilo equivale a 75 latinhas) custava R$ 2,780 mil na segunda semana de agosto. "É por conta disto que o papel, o vidro, a resina PET, as latas de aço, as embalagem longa vida, de mais baixo valor no mercado, apresentam índices de reciclagem bem menores", diz o documento. Um dos responsáveis pela pesquisa, Judicael Clevelario acrescenta a que a separação de materiais ainda é associada à imagem do catador, normalmente uma pessoa pobre ou desempregada, e não foi incorporada na rotina do brasileiro.

Para os próximos anos, a avaliação é de que com o estabelecimento de preços mínimos para os materiais, além do avanços das leis ambientais, da educação e da coleta seletiva, o percentual de reciclagem possa aumentar para todos os materiais. Como fator de estímulo à prática, a pesquisa destaca que a reciclagem reduz o consumo de energia e a extração de matérias-primas, evitando a emissão de mais gases de efeito estufa. As embalagens Tetra Park (empresa de processamento e envase de alimentos), em especial, diminuem a emissão de ozônio, porque dispensam refrigeração.

Por Isabela Vieira (Agência Brasil)

http://jc3.uol.com.br/blogs/blogcma/canais/noticias/2010/09/02/latinha_de_aluminio_permanece_como_o_material_mais_reciclado_no_pais_mostra_ibge_78592.php

Leia mais!

Parque Ecológico de Caruaru terá reforço na segurança

Agreste // SERRA DOS CAVALOS

Parque Ecológico de Caruaru terá reforço na segurança

Publicado em 03.09.2010, às 08h32

Do JC Online Núcleo SJCC/Caruaru

A Prefeitura de Caruaru, Agreste de Pernambuco, decidiu escalar guardas municipais para fazer a segurança do Parque Ecológico João Vasconcelos Sobrinho, mais popularmente conhecido por Serra dos Cavalos.

A partir deste sábado (4), oito guardas atuarão em regime de escala de plantão, inicialmente, aos finais de semana quando o fluxo de pessoas em busca da prática de esportes radicais não autorizados na área (como trilhas com motos) é maior. A segurança será das 7h às 17h.

Atualmente, o local tem sido alvo de polêmica pelo impasse em relação à retirada de famílias que há mais de 20 anos moram por lá. Elas deveriam ter saído da área no último dia 20 de agosto mas permanecem em Serra dos Cavalos.

Nessa quinta-feira (2), a Prefeitura apresentou um projeto para construir casas na propriedade Brejo Velho, zona rural de Caruaru, no primeiro distrito, onde as famílias que hoje vivem no Parque João Vasconcelos Sobrinho possam morar e tirar seu sustento. O local se chamará Reserva de Desenvolvimento Sustentável Souza Pepeu.

O prazo para a entrega da área é de dois meses. A intenção da Prefeitura é que, durante este período, as famílias permaneçam em Serra dos Cavalos. Ainda nessa quinta (2), a assessoria da juíza Magdala Sette, que havia determinado a retirada dos moradores, informou que na próxima semana ela vai se reunir com o comando da Polícia Militar pra definir o efetivo policial que irá auxiliar o oficial de justiça na retirada das famílias de Serra dos Cavalos.

Leia mais!